Busca avançada



Criar

Vídeo

O samba, o teatro e uma fábula interracial

Sinopse

Em seu depoimento, Haroldo Costa relembra o falecimento da mãe e sua infância em Maceió, na casa dos avós e a influência da tia; a escola, brincadeiras, danças, músicas folclóricas na infância e as boas memórias do período do natal. Aos 10 anos, muda-se para o Rio de Janeiro, onde mora com o pai na Lapa, momento marcado pelas ondas do rádio: irmãs Batista, Francisco Alves, Jornal de Modinhas, o carnaval carioca. Haroldo fala sobre as escolas que frequentou, a militância na UME (União municipal dos estudantes), seu envolvimento no movimento estudantil secundarista, o Teatro Experimental do Negro e a importância desta manifestação artística negra na época. Ele recorda a primeira peça em que trabalhou: O filho pródigo, de Lucio Cardoso, conta sobre a experiência como diretor artístico e sua excursão de 5 anos pela Europa e América do Sul, período em que estudou antropologia na Sorbonne. Haroldo fala sobre o convite que recebeu para participar da peça Orfeu Negro e o papel de Jesus na peça O auto da Compadecida, de Ariano Suassuna. Em Suburbia, Haroldo interpreta o personagem Aloysio.

Tags

Outras informações

Creditos: Museu da Pessoa



Rua Natingui, 1100 - São Paulo - CEP 05443-002 | tel +55 11 2144.7150 | cel +55 11 95652.4030 | fax +55 11 2144.7151 | [email protected]
Licença Creative Commons

Museu da Pessoa está licenciado com uma Licença
Creative Commons - Atribuição-Não Comercial - Compartilha Igual 4.0 Internacional