Busca avançada



Criar

Vídeo

Minha relação com D. Paulo Evaristo Arns

Sinopse

Margarida relembra os momentos de apreensão vividos na época em que presidia a Comissão Justiça e Paz. Cuba havia condenado à morte dois grandes líderes da oposição e a Comissão precisava urgentemente publicar nota de repúdio ao ato. Sem conseguir ter o aval de Dom Paulo Evaristo Arns (fundador da Comissão), então incomunicável, Margarida decidiu redigir e publicar a nota, atribuída ao cardeal, sem o seu conhecimento - ato considerado ousado, embora ela acreditasse no seu beneplácito. A reação de Dom Paulo ao saber do ocorrido revela muito sobre sua personalidade e, para Margarida, mostra o lugar que ela ocupava na relação com ele.

Outras informações

Ano: 2019



Rua Natingui, 1100 - São Paulo - CEP 05443-002 | tel +55 11 2144.7150 | cel +55 11 95652.4030 | fax +55 11 2144.7151 | atendimento@museudapessoa.org
Licença Creative Commons

Museu da Pessoa está licenciado com uma Licença
Creative Commons - Atribuição-Não Comercial - Compartilha Igual 4.0 Internacional