Busca avançada



Criar

História

Um letrado na rua

História de: Sebastião Nicomedes de Oliveira
Autor: Museu da Pessoa
Publicado em: 09/10/2012

Sinopse

Na entrevista de 22/11/2007, Sebastião Nicomedes de Oliveira fala sobre sua vida após um acidente que o fez morar nas ruas. Em 2003, quando isso acontece, Sebastião escrevia poesias, o que já fazia desde o ginásio. Um dia, um outro morador de rua sugere que ele escreva sobre a vida nas ruas, para que a situação mude. Ele acata a sugestão, o que transforma sua vida completamente. Por causa disso, Sebastião vê aquele morador de rua como um anjo que passou em sua vida, fez com que ela melhorasse e foi embora. No vídeo, Sebastião também conta sobre o significado da bandeira que carrega sempre consigo e que representa, para ele, um Brasil desconhecido pela maioria das pessoas e um símbolo de união nas passeatas das quais participa.

Tags

História completa

Sebastião Nicomedes de Oliveira nasceu em Assis-SP no dia 07/10/1968. Foi criado por pais mineiros, junto com seus sete irmãos. Estudou até a quarta série em Assis, de onde só saiu quando seus pais morreram. Foi para Sabará-MG, onde passou a morar com sua irmã mais velha, que era missionária. Ali, estudou até a oitava série e, na escola, escrevia poesias para a menina de quem gostava. Mostrando que levava jeito para a escrita, ganhou um concurso de redação do Senai ao escrever uma homenagem para sua mãe. Ainda em Sabará, trabalhou como guia turístico e recepcionista da igreja que freqüentava. Este não foi seu primeiro emprego. Por volta dos 8 anos, ele já havia tentado trabalhar colhendo algodão e cortando cana, mas não gostou das tarefas. Quase dez anos depois, entrou para a Marinha como agregado e saiu, depois de seis meses e meio. Ao completar 18 anos, viajou pelo Brasil, passando por São Paulo-SP, Maceió-AL, Salvador-BA e São Sebastião-SP. Depois de tanto viajar, fixou-se em São Paulo, trabalhando com placas e letreiros. Em 2003, exercendo sua função, caiu de cima de um andaime improvisado, foi hospitalizado e dado como morto. Quando teve alta, passou a morar nas ruas e transformou suas experiências cotidianas em temas de seus escritos. Hoje mora no Brás, em São Paulo, tem um livro publicado, uma peça que já foi encenada nos palcos - Diário de um Carroceiro - e dirigiu uma cena de um filme. Na entrevista de 22/11/2007, Sebastião Nicomedes de Oliveira fala sobre sua vida após o acidente que o fez morar nas ruas. Em 2003, quando isso acontece, Sebastião escrevia poesias, o que já fazia desde o ginásio. Um dia, um outro morador de rua sugere que ele escreva sobre a vida nas ruas, para que a situação mude. Ele acata a sugestão, o que transforma sua vida completamente. Por causa disso, Sebastião vê aquele morador de rua como um anjo que passou em sua vida, fez com que ela melhorasse e foi embora. No vídeo, Sebastião também conta sobre o significado da bandeira que carrega sempre consigo e que representa, para ele, um Brasil desconhecido pela maioria das pessoas e um símbolo de união nas passeatas das quais participa.

Ver Tudo PDF do Depoimento Completo

Outras histórias


Ver todas


Rua Natingui, 1100 - São Paulo - CEP 05443-002 | tel +55 11 2144.7150 | cel +55 11 95652.4030 | fax +55 11 2144.7151 | atendimento@museudapessoa.org
Licença Creative Commons

Museu da Pessoa está licenciado com uma Licença
Creative Commons - Atribuição-Não Comercial - Compartilha Igual 4.0 Internacional

+