Busca avançada



Criar

História

Se soubesse, não mordia

História de: Julio Luciano Domingues
Autor: Museu da Pessoa
Publicado em: 13/11/2018

Sinopse

Julio Luciano trocou sua infância para se dedicar ao trabalho. Sempre ligado a família e preocupado com o bem estar dos irmãos. Trabalhava na sorveteria do seu pai, depois foi tecelão e hoje trabalha na Ong Tijolinho como chefe da manutenção. Uma pessoa solidária, não tem tempo ruim e é pau pra toda obra. Sua história mostra como Julio gosta muito de cachorro.

Tags

História completa

A Rosas de Ouro nasceu em frente ao Vile, depois que veio para a Freguesia do Ó. Então, ela saiu na Parapuã fazendo um desfile e eu fiquei encostado na grade da casa de um japonês, porque gostava de ver as brincadeiras do carnaval. De repente, o cachorro mordeu as minhas costas, furou a minha blusa e o japonês para mim: “Quem mandou você encostar aí?” “O cachorro me mordeu.” Ele: “Quem mandou você encostar aí?” E eu gosto de cachorro, eles gostam tanto da gente. Eu pego coisas que sobram, ponho no saquinho, carrego na perua para tratar dos cachorrinhos na rua. Na minha casa, se tem um arroz, uma sobra, eu falo: “Não joga fora, deixa aí para a gente dar para os cachorrinhos, tem tantos passando fome.” Quando não tenho, se eu comprar uma coxinha, eu dou uma mordida e dou o resto. O cachorro me mordeu porque ele não sabia. Se soubesse quem eu sou, não mordia. Vi a Rosas de Ouro nascer lá! 

Ver Tudo PDF do Depoimento Completo

Outras histórias


Ver todas


Rua Natingui, 1100 - São Paulo - CEP 05443-002 | tel +55 11 2144.7150 | cel +55 11 95652.4030 | fax +55 11 2144.7151 | atendimento@museudapessoa.org
Licença Creative Commons

Museu da Pessoa está licenciado com uma Licença
Creative Commons - Atribuição-Não Comercial - Compartilha Igual 4.0 Internacional

+