Busca avançada



Criar

História

Professora Carmen também já foi criança

História de: Carmen Correia da Silva Machado
Autor: Carmen Correia da Silva Machado
Publicado em: 28/10/2010

Sinopse

Professora há 25 anos, Carmen teve uma infância repleta de aventuras e, como aluna, sempre foi disciplinada. Hoje é mãe de duas filhas e pretende comprar um carro.

Tags

História completa

No dia 28 de março de 1955, nasceu em Guaíba, uma linda menina chamada Carmen Correia da Silva Machado. Diante a muitas alegrias e também de algumas dificuldades, passou a sua infância na cidade de Pelotas, onde foi criada com muito carinho e também com alguns lacinhos, por seus pais João Ferraz da Silva e Ivone Correia da Silva.

Neste período brincava somente com sua irmã. Elas se divertiam bastante com sabugos de milho, cavalinhos de pau, carrinhos de boi e também com um fogãozinho de barro feito por elas mesmo. Mas o brinquedo preferido de Carmem era a sua boneca de pano, pois com ela, entrava em um mundo de faz de contas, com muita imaginação e diversão.

Recorda-se também, que na sua época as crianças eram mais calmas. E acredita que o motivo seja a falta da televisão, pois segundo o seu relato, os desenhos de hoje transmitem muita violência. Com 7 anos foi pela primeira vez à escola. Lembra-se com carinho da professora Alice, que sempre lhe dava dinheiro para comprar guloseimas nas festas da escola. Mas, também havia a professora Ivone que era muito má. Uma vez, deixou a pobre inocente de joelhos virada para uma parede e como estava doente, Carmem acabou passando mal. E devido a esta situação, sua mãe acabou tirando-a da escola.

Então, com 8 anos retornando a sua cidade natal, voltou a estudar na escola Frederico Linck recordando-se com carinho da professora Graciana, que era uma professora atenciosa e dedicada. Na escola em que estudava havia muita disciplina. Certa vez, ouve um desentendimento entre professora Carmen e sua colega, e para encerrar com a briga, a diretora pegou a menina pelas orelhas e levou-a a diretoria.

Carmen teve uma adolescência um pouco reservada, pois seus pais eram muitos rígidos e não a deixavam sair. Teve apenas uma amiga, e esta lhe prometeu um vestido de prenda e até hoje não cumpriu a sua promessa. Com 20 anos, conheceu Carlos, que era seu vizinho no bairro onde morava. Casaram-se e tiveram duas lindas filhas. Após o casamento, professora Carmen e sua família vieram morar no bairro Vila Iolanda. E este era bem diferente do bairro que observamos hoje, pois segundo ela, havia somente 4 casas. Também, após o casamento começou a lecionar em um projeto no bairro São Jorge.

E hoje já se passaram mais de 25 anos na profissão. A chegada na escola Breno Guimarães lhe rendeu grandes emoções. Certa vez, devido a um temporal, a frágil escola que era construída de madeira foi parar no meio da rua. Já em outra ocasião, os alunos da professora Carmen, lhe pregaram uma peça. Inventaram que uma menina havia sido morta no portão da escola. Desesperada, correu até lá e percebeu que era só uma brincadeira. Muito chocada, os alunos tiveram que trazer a professora no colo para dentro da escola.

Agora, com uma vida mais estável, pretende comprar um carro e quando a aposentadoria chegar, irá trabalhar em outro local, transmitindo a palavra de Deus. Como mensagem final, a nossa querida Professora Carmen, enfatiza que para sermos pessoas do bem, devemos sempre fazer o bem, deixando a maldade de lado.

Ver Tudo

Outras histórias


Ver todas


Rua Natingui, 1100 - São Paulo - CEP 05443-002 | tel +55 11 2144.7150 | cel +55 11 95652.4030 | fax +55 11 2144.7151 | atendimento@museudapessoa.org
Licença Creative Commons

Museu da Pessoa está licenciado com uma Licença
Creative Commons - Atribuição-Não Comercial - Compartilha Igual 4.0 Internacional

+