Busca avançada



Criar

História

O dia, o tempo e a pandemia

História de: Antonia Amancio Araujo de Oliveira
Autor: Antonia Amancio Araujo de Oliveira
Publicado em: 15/09/2020

Sinopse

Diário de Antonia Amancio Araujo de Oliveira, 21 de agosto de 2020. Jornada, dia 5.

Tags

História completa

Aqui em casa ainda permanecemos em isolamento social. As saídas são feitas de acordo com as necessidades de cada membro da família. Nesses dias de “ficar em casa” procuramos seguir nossas rotinas respeitando as orientações dos órgãos de saúde nacional e mundial. Hoje, sexta feira, foi dia de cuidar das plantas. Adubar, tirar folhas secas e cortar galhos danificados. Como os dias têm sido chuvosos não foi necessário colocar água nas plantas. Sem perder o pique continuei arrumando o quintal e jogando lixo no lixo. De repente me bateu uma saudade da liberdade que tínhamos antes da pandemia. A simplicidade de andar descalço na praia, viajar para a casa dos familiares nos feriados e observar as paisagens no meio do caminho, colher flores na praça do bairro. Parece que o tempo parou para nós que tanto queríamos um pouco mais de tempo. Não parece que temos esse tempo e em vez do sentimento de poder produzir mais, ter mais tempo acabou sendo cansativo e estressante. Os dias parecem parados e o que mais conforta é a certeza que aceitamos de que a pandemia vai passar, restando apenas esperar. Esperança e esperar são palavras que se juntam à paciência para serem as mais ouvidas nesse tempo que faz da criatividade a arma fundamental de enfrentamento para garantir a própria sobrevivência. Foi essa criatividade que descobriu hoje, no trabalho remoto, o trabalho do futuro para ser o novo normal para muitas pessoas e empresas. Nesses dias aprendi o valor de aproveitar cada dia da minha vida. O tempo passou a ser relativo. Eu sei que já faz algum tempo que descobriram que Einstein tinha razão, mas precisou uma pandemia para que eu a certeza absoluta disso. Ou não? Melhor deixar tudo em aberto, de forma relativa. Tudo que tenho visto e ouvido têm servido para refletir sobre os próximos dias da minha vida. Planejar a vida futura agora faz parte do meu presente. Tenho muito ainda para planejar e realizar.Lembrei que preciso organizar a minha mudança para a Europa em breve. Tenho que providenciar o melhor lugar para brincar de vovó com meus netos. Meu Deus! Eu ainda não tenho netos. Preciso correr. Preciso de mais tempo. Acho que vou precisar encerrar por aqui essa conversa. Tchau!

Ver Tudo

Outras histórias


Ver todas


Rua Natingui, 1100 - São Paulo - CEP 05443-002 | tel +55 11 2144.7150 | cel +55 11 95652.4030 | fax +55 11 2144.7151 | atendimento@museudapessoa.org
Licença Creative Commons

Museu da Pessoa está licenciado com uma Licença
Creative Commons - Atribuição-Não Comercial - Compartilha Igual 4.0 Internacional

+