Busca avançada



Criar

História

Momento de decisão

História de: Lucineia Eurípedes Martins
Autor: Lucineia Eurípedes Martins
Publicado em: 21/11/2016

Tags

História completa

Como todas as pessoas, eu também tenho uma história para compartilhar. Uma parte da minha historia voltada as minhas conquistas profissionais. Desde o meu nascimento residia na zona rural, no sitio dos meus pais, onde não existia energia e nem água encanada. Era luz de vela e água da cisterna. Cresci vivenciando os momentos de alegria e de luta da minha mãe. E mesmo doente tinha que fazer almoço para todos familiares e mais os empregados e tirando água de uma cisterna profunda. Num belo dia, vendo-a sofrer com dores e tirando um balde de água, olhei nos olhos dela rasos de lágrimas e disse que lutaria com todas minhas forças e determinação para estudar e ter uma vida bem diferente, e que um dia iria se orgulhar do meu esforço. Daquele momento em diante, comecei a estudar e buscar meu sonho almejado: um diploma que me daria uma vida diferente. Viajando 3 horas de ônibus, muito pó na época de seca e barro na época das chuvas, conclui meu ensino fundamental. Após concluir o 9º ano, minha mãe me chamou e explicou que jamais deixaria eu estudar no noturno e a partir daquele ano eu viajaria para Franca onde iria me matricular no magistério, e seria uma professora já que eu gostava tanto de brincar de escolinha. Assim chegou o momento tão esperado escola gigante, alunos bem vestidos, roupas da moda e todos muito falantes. Eu, uma pessoa simples da zona rural, roupa simples que ganhava, mas com muita vontade de vencer e atingir meu objetivo. Ali começou minha busca com muitas dificuldades, falta de dinheiro para comprar almoço. Uma amiga me convidava para almoçar na casa dela, porque dali saía para os estágios. Como não dava tempo de voltar para casa, pois morava longe, fui morar com familiares, onde passei por péssimos momentos de humilhações, até mesmo falta de comida porque era negada. Ganhava passes escolares de um tio e tickets para comer um lanche, assim foi minha luta até o final do curso. Chegou o momento único, a formatura, mas não tinha dinheiro para participar e mais uma vez o sonho me fez ir à luta. Comecei a trabalhar numa loja de joias, no pacote e com o meu salário que recebi, no dia 5 de dezembro, paguei minha formatura que tanto almejei. Quando fui chamada, fui caminhando por aquele corredor e meu coração já começou a chorar de alegria por minha vitória. Sentada junto aos outros formandos, começou a tocar a musica “Ao mestre com carinho”, naquele momento, minhas lágrimas não se contiveram e rolaram pela minha face, pois foi nessa hora que olhei para os meus pais e eles choravam de orgulho e felicidade, por saber que, naquele dia, sua filha se tornava uma professora, depois de ter valorizado todas as ajudas e não ter jogado nenhuma oportunidade de vencer no lixo. Havia valorizado cada dúzia de ovos vendida e cada queijo moldado pelas mãos sofridas da minha mãe e vendidos para comprar os materiais necessários para me formar. Foi naquele momento que agradeci a Deus e aos meus pais. Pegando meu diploma, parti para a luta. Pela manhã era babá, à tarde substituindo nas escolas e à noite e horas vagas estudando para concursos até passar. Estou completando quase 20 anos de sala de aula. Não tenho mais meus pais, mas onde eles estiverem tem orgulho de saber que hoje tenho duas faculdades e uma pós-graduação e toda uma dedicação e amor profundo pela minha profissão. E tenho uma vida abençoada e posso dedicar e fazer tudo que um dia meus pais não puderam fazer para mim, faço pelo meu filho. Só tenho que agradecer.

Ver Tudo

Outras histórias


Ver todas


Rua Natingui, 1100 - São Paulo - CEP 05443-002 | tel +55 11 2144.7150 | cel +55 11 95652.4030 | fax +55 11 2144.7151 | atendimento@museudapessoa.org
Licença Creative Commons

Museu da Pessoa está licenciado com uma Licença
Creative Commons - Atribuição-Não Comercial - Compartilha Igual 4.0 Internacional

+