Busca avançada



Criar

História

Minha historia...Minha vida.

História de: Donizeti Aparecido Fragoso
Autor: Rosimeire de Andrade
Publicado em: 19/12/2012

Tags

História completa

Projeto Memória Local Produção Textual Entrevista com o Depoente Donizeti Aparecido Fragoso nasceu em Alto do Paraná (PR) no dia 26 de outubro de 1967, filho de dona Hilda Mendes Fragoso e o senhor José Alves Fragoso e tem quatro irmãos: Élcio, Aluísio, José Antônio e Maria Salete. Seus avós paternos e maternos vieram da zona rural de Minas Gerais, eles eram muito rígidos, bravos e por conta disso Donizeti também é firme e rígido com seus alunos. Seus pais se conheceram em uma festa numa fazenda, na cidade de Cruzeiro do Sul (PR), namoraram e depois se casaram. Os mesmos sempre trabalharam na lavoura (sítio). Nosso depoente nos contou das boas lembranças que marcaram a sua infância, da casa de madeira bem alta com porão, as janelas bem grandes de madeira. No porão era o lugar onde sempre entrava para brincar. As brincadeiras eram bem diferentes das de hoje, brincavam de pega-pega, pega-ladrão, cobra-cega, mãe da rua e betis. Ele nos relatou que amigos são fundamentais na vida de uma pessoa, quem tem amigos de verdade tem respeito um pelo outro, divide os problemas. Até hoje o Prof. Donizeti ainda encontra com seus amigos de infância, nesses encontros falam com saudades do tempo que passaram juntos. A primeira escola onde estudou ficava na Zona Rural, chamava-se Escola Municipal Gabriel de Lara, localizada em um sítio, foi construída com madeira, tinha uma sala só, havia um espaço bem grande onde se sentavam para esperar a professora. Uma das professoras que marcou muito a sua vida foi a Profª Marli, quando cursava a 3ª série, os alunos acreditavam na professora, tinha muito respeito. Por nossa vida passam professores que nunca iremos esquecer. Nesta época ele teve muita dificuldade, pois a escola era muito longe da sua casa, ia com um grupo de amigos de carro e voltavam de ônibus. Com doze anos estudava a noite, um dia chegou à escola e percebeu que não tinha aula, então foi para a rodoviária, lá conheceu um homem e ficou conversando com ele, pegaram o mesmo ônibus, desceram no mesmo ponto, o medo começou a tomar conta do menino Donizeti, começou a correr pelo cafezal gritando por socorro, o coração nesta hora quase saiu pela boca. Passou sua juventude na mesma cidade onde nasceu, aos sábados iam ao baile e aos domingos na missa, depois ficavam em volta de um chafariz que tinha na praça conversando com os amigos. A tardezinha sempre tinha uma boa partida de futebol. Em 1988, com 21 anos, Donizeti veio para Indaiatuba, a adaptação na cidade foi horrível, veio morar no Jardim Morada do Sol, o bairro não tinha infraestrutura, as ruas não eram asfaltadas, havia pouca iluminação e muito mato, a casa onde mudaram era pequena, totalmente diferente da que morava no Paraná. Quando morava no Paraná, Donizeti trabalhava com o pai na colheita de café, lá não tinha hora para começar e nem terminar o trabalho, já aqui em Indaiatuba, seu primeiro emprego foi numa empresa chamada Matex, onde trabalhava na área de Administração, até no emprego sentiu dificuldade em se adaptar, com a empresa, os horários e as regras. Formado em Educação Física, nosso depoente trabalha em nossa escola e no Indaiatuba Clube, um clube muito conhecido em nossa cidade. O Prof. Donizeti é solteiro, mora com seus pais que são aposentados, tem uma vida tranquila. Nos finais de semana, vai a barzinhos com os amigos, gosta de dançar e correr no Parque Ecológico aos domingos. Seu maior sonho é chegar numa escola em que os alunos respeitem os professores, gostaria muito que mudasse a realidade das escolas, pois as crianças são o futuro do Brasil. Nosso depoente nos contou que o que mais lhe deixa triste é ver outras pessoas tristes, gosta de ajudar as pessoas, é muito humano. Contar- nos a sua história foi muito importante, a relação de amizade é muito bom. A mensagem que nos deixou foi: estudem muito, respeitem seus professores, nunca desistam de seus sonhos e acreditem em você. “Eu posso, eu acredito em mim, eu vou!”
Ver Tudo

Outras histórias


Ver todas


Rua Natingui, 1100 - São Paulo - CEP 05443-002 | tel +55 11 2144.7150 | cel +55 11 95652.4030 | fax +55 11 2144.7151 | atendimento@museudapessoa.org
Licença Creative Commons

Museu da Pessoa está licenciado com uma Licença
Creative Commons - Atribuição-Não Comercial - Compartilha Igual 4.0 Internacional

+