Busca avançada



Criar

História

Meu maior desafio

História de: Jefferson Gabriel
Autor: Jefferson Gabriel
Publicado em: 16/05/2019

Sinopse

Está é a história da minha primeira corrida de montain bike, de como provei que meus pais estavam errados ao achar que não conseguiria completar uma corrida.

Tags

História completa

No dia 2 de setembro de 1999, iniciou a historia de um serumaninho chamado Jefferson Gabriel, a pessoa que vos conta essa historia. Passei toda minha vida em uma cidadezinha do interior de São Paulo, Ibiuna, cidade pequena porém muito bonitinha e gostosa de se morar. Sempre fui ligado com a natureza, vivia visitando meus avós no sitio e ajudando eles na roça de batata do meu avô, sempre que ia para o sítio visitá-los acabava me enfiando no mato, abrindo e desbravando trilhas mata a dentro.

 

Em 2013 conheci o ciclismo mtb, estava lendo um jornal da cidade onde estava sendo divulgado uma corrida na cidade, maratona terra preta 50 km de bike pelo sertão da cidade, meus pais logicamente não deixaram eu ir, pois falavam que eu não iria aguentar. Aquilo ficou na minha cabeça e de pouco em pouco comecei a treinar para que na próxima corrida eu provasse para meus pais que eles estavam errados. Alguns meses depois, abriu inscrição para outra corrida, xco terra preta, do lado de casa, me inscrevi, aproveitei ainda que a inscrição era grátis para crianças da minha idade na época. 35 dias para a minha primeira corrida, estava treinando em uma subida ingrime próximo a minha casa, subia fazendo o máximo de força e descia como se não houvese amanhã, até que em uma descida minha roda dianteira travou e voei metros à frente, quebrei meu braço, 30 dias de geso sem poder subir na bicicleta, estava extremamente frustrado, uma semana antes da prova resolvi tirar o geso por mim mesmo, pois sabia que precisava treinar para provar que era capaz de participar daquela corrida.

 

Então chegou o grande dia. Estava lá, eu junto com um grande amigo que pedalava comigo (Pedro Henrrique, amigo da escola que pedalava comigo), meu primo que também entrou na onda de pedalar junto comigo e mais alguns garotos que não conhecia. A largada era dentro de um gol de um campo de futebol que ficava no mirante da figueira, o ponto mais alto da cidade, entrava em uma trilha, a trilha do rock garden, ia por uma estrada de terra até outra trilha, a trilha do lost uma das mais conhecidas da cidade e por fim subia novamente até o mirante assim por 3 voltas.

 

3, 2, 1 e foi dada a largada, me posicionei bem me mantendo entre os primeiros até entrar no lost, afobado e primeira corrida não estava aguentando o ritmo do primeiro que pedalava a mais tempo. Entrei a segunda volta ainda em terceiro lugar, tudo estava bem, até o momento que quebrei o pedivela da bicicleta, bruto de mais (risos), fechei a segunda volta empurrando na subida e deixando a bike ir nas descidas, entrei em quarto na última volta, assim que abri a última volta recebi a notícia de que meu amigo havia desistido da corrida e meu primo havia caído e quebrado o braço, não podia desistir também, tinha de subir no podium por eles e para provar que mesmo com a bike quebrada eu era capaz de completar e me destacar em um corrida, fiz todo o possível na última subida para acabar a prova. O atleta que estava em quinto estava me passando, porém ao invés de simplesmente passar resolveu parar e me ajudar, me deu água e disse que iria comigo para terminarmos a prova, então fomos morro a cima empurrando as bicicletas, logicamente ele terminou na minha frente.

 

Me provei subi em quinto lugar nesta corrida, peguei gosto e até então não parei mais, cada dia buscando novos desafios e novos resultados.

Ver Tudo

Outras histórias


Ver todas


Rua Natingui, 1100 - São Paulo - CEP 05443-002 | tel +55 11 2144.7150 | cel +55 11 95652.4030 | fax +55 11 2144.7151 | [email protected]
Licença Creative Commons

Museu da Pessoa está licenciado com uma Licença
Creative Commons - Atribuição-Não Comercial - Compartilha Igual 4.0 Internacional

+