Busca avançada



Criar

História

João Benício Soares

História de: João Benício Soares
Autor: Memória Local na Escola - Bom Jesus e Currais, 2015
Publicado em: 15/11/2015

Tags

História completa

Escola Municipal Marcos Julio Gruta Bela, 18 setembro de 2015 Professoras: Ana Claudia, Danúbia e Ozilene Texto Coletivo com alunos do 7º ao 9º ano O Pão do seu João Há muitos anos seu João Benicio mora no povoado Gruta Bela, município de Bom Jesus-PI, um homem do campo que desde criança já trabalhava na roça para ajudar sua família, pois já passou por algumas necessidades como uma casa boa para morar, transporte, escola, saúde, água encanada, trabalho fixo e até falta de energia elétrica. Naquela época ter tudo isso era um grande privilegio que infelizmente seu João não tinha. Sua casa era muito simples com paredes de barro e coberta com palha de coco ou buriti. Quando estava se aproximando do período das chuvas era comum reunir os amigos para trocar as palhas velhas das casas, pois ninguém queria ficar em baixo de uma casa cheia de goteira. Naquela época como não tinha água encanada em casa, as pessoas daquela comunidade já sofreram muito com a falta desse bem tão precioso, até mesmo para conseguir água para beber e cozinhar os alimentos tinha que se deslocar até o riacho ou outras fontes distantes para pegar e carregar os potes de água na cabeça. Nos dias de feiras para se deslocar do povoado até a cidade de Bom Jesus, o percurso era feito a pé, a cavalo ou a jumento com carroça para levar os mantimentos. Seu João foi criado pelos seus avôs, pois seu pai morreu quando ainda era criança. Ele estudou ate a 4ª serie do Ensino Fundamental, onde aprendeu a ler e a escrever. Nos finais de semana a criançada se reunia para brincar, a brincadeira preferida era andar de cavalo de pau, cada criança fazia o seu cavalo e não esquecia por nada. Desde muito cedo começou a trabalhar como professor e diz que sente muito orgulho de ter sido um professor, pois ensinou muitas crianças a ler e a escrever. Sua escola era simples, às vezes faltava caderno ou lápis, mesmo assim seu João não faltava vontade de ensinar. Ele diz que a escola de seus avôs foi à roça e não sabiam ler e nem escrever, ainda hoje lembra a cantiga que muitas mães cantavam para os seus filhos (“Dorme nenê que eu tenho o que fazer papai foi pra roça e mamãe lavar e passar roupinhas pra você”...). Sua juventude foi boa, apesar das dificuldades ele se divertiu muito. Sua família é muito religiosa e foi nas rezas que acontecem no povoado que seu João conheceu sua esposa, a senhora Maria do Carmo. Eles se casaram e infelizmente não podiam ter filhos, pois ela não conseguia segurar o bebê no seu útero. Então eles decidiram adotar um menino chamado Moacir e o criou como se fosse sangue do seu sangue. Hoje seu João Benicio é padeiro e trabalha em sua residência, fazendo Paes caseiro com sua esposa. Quando chega alguém e pergunta: tem pão? Ele responde: __ Não tem! Mas tem Qboa, sabão, café, desinfetante e biscoito. __ kkk, muito engraçado! As pessoas alem de achar engraçado, se surpreende com sua resposta. Hoje sua vida está bem melhor, tem uma casa boa para morar, energia elétrica, água encanada, meios de transportes todos os dias para a cidade, tem também o seu próprio negocio onde vende pão caseiro, uma mini sorveteria, um meio de ganhar uma renda a mais, alem de sua aposentadoria.

Ver Tudo

Outras histórias


Ver todas


Rua Natingui, 1100 - São Paulo - CEP 05443-002 | tel +55 11 2144.7150 | cel +55 11 95652.4030 | fax +55 11 2144.7151 | atendimento@museudapessoa.org
Licença Creative Commons

Museu da Pessoa está licenciado com uma Licença
Creative Commons - Atribuição-Não Comercial - Compartilha Igual 4.0 Internacional

+