Busca avançada



Criar

História

Infância na roça

História de: Frederica Berbet
Autor: camara cidada caparao
Publicado em: 23/05/2013

História completa

D. Frederica é uma senhora simples, modesta e educada, que adora conversar sobre os tempos vividos, ama falar sobre sua infância e mocidade. É filha de Laídes Crem Berbert e Beumiro Euclides Berbert, tem 11 irmãos, contando com o ilustre sr. Pedro Osias Berbert mais conhecido como Gabril, que foi o segundo prefeito de nosso município. Essa senhora encantadora tem muito a falar, e ao falar, nos encanta com sua simplicidade e sabedoria. Mãe de sete filhos que como ela, foram criados de forma tradicional. Apresenta valores da boa educação que lhe foi passada por seus pais e que ela passou a seus filhos. Ensinamentos simples, da roça como dizem, moldada nos anos que viveu com seus pais na pequena comunidade da Taquaruna, área rural de nosso município. Uma de suas histórias favoritas é falar de seu pai, que quando jovem era muito rico, mais perdeu todo seu dinheiro. Perdeu sua primeira esposa que faleceu ao dar a luz. Ao passar os anos conhece Laídes que ainda era moça jovem, de temperamento forte, contrário ao seu, que era calmo e a espera crescer para se casarem. Enquanto isso começa a reconstruir sua vida, se converte ao evangelho, casa-se com Laídes com quem tem 12 filhos, e que educam dentro dos parâmetros evangélicos. Dona Frederica e seus irmãos auxiliavam seu pai na lida na lavoura e moendo cana no engenho. Muitas das vezes quando chegavam cansados do serviço na roça, dona Frederica e seus irmãos dormiam no banco que se encontrava na cozinha e seu pai gentilmente os pegava no colo e os colocava na cama para dormir. Homem muito educado tinha sua casa cheia de amigos que sempre vinham vê-lo e durante as visitas, filhos, amigos e vizinhos conversavam e brincavam de roda até o anoitecer. Aos domingos era servido um grande almoço para toda a família que se reunia com alegria para passar o dia. Foi em um desses almoços e brincadeiras de roda em sua casa que seu marido a conheceu e que recitando versos, demonstrou seu afeto a nossa personagem, que após dois anos de namoro se casaram, convivendo juntos por 36 anos e tendo sete filhos. Com seu marido, estabeleceu-se na comunidade de Santa Rita trabalhando na fazenda do sr. Manoel Ferreira lima, fabricando queijos. Então mudam-se para Caparaó, o esposo que trabalhava na fábrica de caulim ,passa em seguida a trabalhar como taxista enquanto dona Frederica trabalhava como servidora pública na pré-escola do município, emprego cedido pelo então prefeito Antônio Xavier da Costa (LICO), onde permaneceu até sua aposentadoria. Nesta época apreciava de sua casa, a chegada do trem, que já na curva, que precede a entrada da cidade apitava para comunicar com alegria a todos a sua chegada, se dirigindo à caixa d’agua, onde sua caldeira era resfriada para em seguida parar na estação ferroviária para descarregar e recarregar, e para a entrada de passageiros, que seguiam para diferentes destinos. Dona Frederica mesmo, muitas vezes viajou no trem para Espera Feliz, Presidente Soares (hoje Alto Jequitibá) e Manhumirim, municípios próximos ao nosso para passear. Dona Frederica, muito trabalhadora, hoje tem seu tão merecido descanso, que aproveita para curtir seus 12 netos e primeiro bisneto e para ouvir suas músicas de seus cantores preferidos como Roberto Carlos enquanto marca, costura, faz crochê e lê a bíblia.
Ver Tudo

Outras histórias


Ver todas


Rua Natingui, 1100 - São Paulo - CEP 05443-002 | tel +55 11 2144.7150 | cel +55 11 95652.4030 | fax +55 11 2144.7151 | atendimento@museudapessoa.org
Licença Creative Commons

Museu da Pessoa está licenciado com uma Licença
Creative Commons - Atribuição-Não Comercial - Compartilha Igual 4.0 Internacional

+