Busca avançada



Criar

História

Eu vivi milagres

História de: Andreia Suli
Autor: Andreia Suli
Publicado em: 07/01/2016

Sinopse

Não faltam lutas e dificuldades na vida da gente. Porém,o mais importante é como enfrentamos estas lutas. Escolhi o caminho da fé e nesta história deixo um pouco do quanto Deus me abençoou em 2015 realizando meus sonhos. Porque Eu vivi milagres...

Tags

História completa

Em 2015 eu vivi milagres. Muitos. Em outros anos também. Mas, além de milagres, eram sonhos. Deus escolheu este ano para realizar os meus sonhos. Alguns datavam da infância. Outros, recentes. Mas todos eles têm um milagre por trás de sua realização, uma história para contar.

 

Eu sonhava estudar inglês. Todas as vezes que passava em frente da escola de idiomas, sentia um desejo de estar lá. Mas não havia condições... Até que, em fevereiro, aflita por um problema no trabalho, estava sozinha no quarto à noite e quando me deitei uma voz soou, mansa, dizendo: “ 2 de março”. Imediatamente pensei que fosse a data que Deus dava para solucionar meu problema. Mas os caminhos de Deus não são nossos caminhos. No dia 2 de março eu estava sentada na sala de aula da escola de Inglês para minha primeira lição. Deus movimentou todas as coisas para que eu estivesse lá.

 

Eu sonhava um trabalho onde eu pudesse usar saias e não calças, que ocupasse só metade do meu dia, que eu pudesse cuidar dos meus filhos sem precisar de babás... Deus me deu tudo isso e ainda doces sorrisos, abraços, carinhos com a pureza das crianças que me rodeiam. Eu não esperava assumir o concurso para professora do município. Estava estabilizada no antigo emprego,  concursada, embora não suportasse mais o peso do cargo onde estava, não coubesse mais no lugar onde estava. Tamanha era minha angústia que me vi em um quadro extremo de ansiedade e estresse. Adoeci, mas na dor, enxerguei que a decisão de sair era a melhor. Que o dinheiro é importante, mas não é essencial. “O essencial é invisível aos olhos”, já dizia Saint’Exupery, e mais, “só se vê bem com o coração”... Antes, meu coração estava no dinheiro que meu trabalho proporcionava, reconheço. Aprendi com angústia e lágrimas a grande lição do Mestre: “Portanto, vos afirmo: não andeis preocupados com a vossa própria vida, quanto ao que haveis de comer ou beber; nem pelo vosso corpo, quanto ao que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o alimento, e o corpo mais do que as roupas?” Hoje, além da paz que meu trabalho me trouxe, posso dizer que Deus tem me sustentado e não tem deixado nada faltar... “Olhai os lírios do campo, eles não tecem, nem fiam, mas nem Salomão, em toda sua glória se vestiu com um deles...

 

Eu sonhava viajar para o Nordeste. Em 2003 quando me casei sonhava com uma lua-de-mel nas praias nordestinas. Os anos se passaram e este sonho foi sempre deixado de lado, ora pelas contas a pagar, ora pelos filhos pequenos... Mas Deus, que está conosco ombro a ombro, não se deixa esquecer de nossos projetos. Despertou-me para organizar a viagem e em julho cumpriu o desejo do meu coração de sobrevoar as nuvens rumo à Pernambuco e pisar as águas claras de Porto de Galinhas. Para isso, vínhamos pagando a passagem antecipadamente, mas para Deus mostrar seu poder, com a troca de emprego, precisei mudar a data da viagem. Cancelei a passagem e só consegui vôo por outra companhia mais cara. Pelos termos da empresa aérea, só seriam devolvidos a mim metade do valor das passagens. Recebi tudo. E mais, a rescisão do emprego antigo veio muito maior do que eu esperava. Pudemos comprar roupas, malas, hospedagem, táxis e passeios. Deus nos supriu.

 

Eu sonhava ser escritora. Quando menina, escrevia muitos textos e dizia que quando crescesse seria escritora. Ah, como é belo o mundo da infância! Mas nós crescemos e as preocupações da vida vão empurrando nossos sonhos tão coloridos para debaixo do tapete cerebral, deixando sóbria e cinza nossa existência. Cresci, formei-me, trabalhei de atendente de lanchonete a bancária e deixei de escrever. Tinha outras prioridades... Só que Deus vasculha o tapete, porque sabe que nossos melhores dias, nossos melhores desejos estão lá, e, pouco a pouco, os resgata para que a tão sóbria vida adulta ganhe um pouco de cor. Então, em setembro, ele colocou em minhas mãos um jornal de meses atrás, com um pequeno anúncio do Prêmio Bradesco Longevidade Histórias de Vida. Faltavam poucos dias para o término das inscrições. Pensei em escrever, mas, outra vez, empurrei o sonho para debaixo do tapete. Deus insistiu: a partir da postagem da foto da minha vó na escola, vi que era impossível não escrever a história desta guerreira. Deu trabalho, perdi sono, escrevi, apaguei e reescrevi. O resultado foi o 3º lugar do Prêmio, com direito a troféu, certificado, viagem, hospedagem e alimentação pagas, e um prêmio em dinheiro. Deus falou por sua palavra que iria me colocar em um lugar de destaque, que apareceria no último minuto. De fato, quase achei que não havia ganhado porque a notícia veio mesmo no último minuto...

 

Eu sonhava terminar a sala até o final do ano. Começamos esta ampliação da casa por necessidade tanto contratual, quanto de espaço. Não tínhamos condições alguma. Nem um centavo guardado no banco. Nem uma perspectiva real. Nossa perspectiva foi a fé. Uma fé que nos moveu para erguer o alicerce em 2012. Que nos ajudou a erguer as paredes e cobrir em 2013. Que nos ajudou a rebocar em 2014. A mesma fé que nos ajudou a terminar em 2015 e que possibilitou hoje, 31 de dezembro, eu estar sentada no sofá da sala escrevendo esta história. Não esperávamos mover nada este ano. É um ano difícil para o Brasil. Financeiramente, um ano de ajustes no orçamento da nossa casa, afinal, saindo do emprego que estava, passei a receber metade do salário e ter ainda quase as mesmas despesas de antes. Mas Deus nos surpreende. Confunde os cálculos. Faz colher de onde não se plantou, como Ele mesmo me disse por sua palavra. Quantos milagres! Primeiro o piso da sala, que ele preparou de uma liquidação com preço acessível. Depois a sanca de gesso, parte indispensável para dar continuidade na obra. Não tínhamos condições, mas Deus preparou o prêmio, quantia exata para pagar o serviço. Então o piso da garagem: de onde tirar? Deus prometeu que ia multiplicar o prêmio. Após 6 meses fora do emprego anterior, recebi  uma quantia inesperada dele. Foi nosso piso. A janela veio de uma tarde de grande presença de Deus, pela visita de um servo humilde e uma oração profética. E assim a pintura, o pedreiro, os demais materiais, os móveis, tudo por caminhos criados por Deus.

 

Não tinha um sonho, mas um desejo de ter um parquinho perto de casa para as crianças. E até nisto Deus me presenteou em 2015. No final do ano a prefeitura construiu um parque no final da minha rua. Vejo as balanças do meu portão...

 

E, por fim, os que seguem agora não foram sonhos, mas necessidades... Deus moveu os caminhos neste ano para que conseguíssemos exames mais específicos para o Abner, meu filho mais velho, e chegássemos até o ambulatório neuromuscular da UNIESP. Com a biópsia veio a angústia de saber o diagnóstico. Víamos tantas situações difíceis lá e nos perturbávamos. Graças a Deus, o resultado não trouxe um problema mais complicado, embora não deixe de ser uma alteração.O que importa é crer que Deus não prometeu que não sofreríamos, mas que passaria conosco, ao nosso lado, em nossas angústias, como Ele falou comigo sobre este problema em Ipojuca, Porto de Galinhas.

 

Deus é soberano e tem seu trono nos céus. Mas também é humano, semelhante, sente nossas dores, nossos anseios, tem cuidado de nós. É galardoador daqueles que o buscam. É amigo. Só precisa que confiemos nele, de todo o coração e fé. Que entreguemos a Ele nossos caminhos, de verdade. Aceitando suas vontades em nossa vida, quer boas ou não, aos nossos olhos.

 

Obrigada, Senhor, porque em 2015 eu vivi milagres.

Ver Tudo

Outras histórias


Ver todas


Rua Natingui, 1100 - São Paulo - CEP 05443-002 | tel +55 11 2144.7150 | cel +55 11 95652.4030 | fax +55 11 2144.7151 | atendimento@museudapessoa.org
Licença Creative Commons

Museu da Pessoa está licenciado com uma Licença
Creative Commons - Atribuição-Não Comercial - Compartilha Igual 4.0 Internacional

+