Busca avançada



Criar

História

Eu sempre acreditei que o dia seguinte seria melhor

História de: simone
Autor: simone
Publicado em: 18/09/2018

Sinopse

Minha esperiencia de vida se resume assim, muito amor, muita dedicação a minha família, eu Simone depois de tanto sofrimento sempre disse acreditar sempre. Esse é meu marido Harley e meus filhos Davi e Iris. Depois muitas lutas hoje só tenho a agradecer.

Tags

História completa

A minha história começa assim, lembro que um dia chuvoso vi minha mãe sentada na cozinha escrevendo uma carta para a família dela que morava na Bhaia toda triste uma porque não coseguia terminar e outra porque não sabia ler, isso faz uns vinte anos atrás, acredito eu tinha uns nove anos de idade não sabia ler mto bem mas conseguir ajudar minha mãe a terminar de escrever a tal carta. Depois desse dia coloquei na minha cabeça que seria professora, não faltava um dia sô de aula, mas na escola sempre fui muito descriminada porque meu Pai bebia muito e ia na escola me buscar sempre de pórri ,e eu as vezes me escondia com vergonha dele, dai o tempo foi passando fui crescendo e com aquele pensamento que dia seguinte Deus iria abençoar meu pai que ia parar de beber, e foi dai que veio a rebeldia cresci revoltada com meu pai com a vida ele dava para minha familia. E resolvi a morar com minha avó mudei de escola voltei a me interessar totalmente aos estudos.

 

Com quinze anos comecei a trabalhar na oficina de costura da minha vizinha e de noite fazia a casa da minha querida avó de escolinha segundo eu era uma professora. E no entando passei minha adolecência trabalhando para ajudar minha mãe que sofria muito com a bebedeira do meu pai, lembro que ela mau sabia ler e escrever, mas aquilo que eu achava que não tinha futuro deu certo minha mãe e a mãe de algumas crianças começaram a se interessar na aula que eu dava para os filhos delas e acabaram apredendo também, mas o tempo foi passando e tivemos que mudar tudo meus pais separam, fiquei com meu pai porque minha vó se mudou, e minha mãe não tinha condições de manter eu e meus dois irmãos. Devido ter acontecido essa vira volta na minha adolecencia parei de brincar de ser professora e fui ajudar meu pai que na época tinha um bar e precisava fazer as coisar para ele vender ja que não tinha minha mãe presente.

 

Mas Deus foi tão maravilhoso que minha mãe voltou para casa meu pai tinha parado de beber minha mãe conseguiu um emprego e me levou para trabalhar com ela. E foi justamente em uma escola, comecei a lavar pratos ajudar nas merendas, quando vi ja tinha passado cinco anos da minaha vida dentro de uma escola, fazendo servicos gerais com minha mãe e cuidando do bercario.Acabei relando o tempo foi passando , quando vi ja estava eu com vinte e tres anos .sem curso sem faculdade ganhando pouco, meu namorado ganhava pouco também mas estudava coisa que nem eu tinha dinheiro para pagar, me cansei e pedi a conta da escolinha onde trabalhava e fui virar venderora de roupa no brás, comecei ganhar muito dinheiro que acabou até subindo pra cabeça, chegava tarde saia cedo final de semana só festa bebedeira e nada de estudar, mas nada daquilo que eu fazia era melhor do que dar aula para meu pequeninos tanto na casa da minha avó tanto na escolinha que trabalhei.

 

Com vinte e seis anos resolvi me casar tive meu filho coloquei minha cabeça no lugar e resolvi dar para ele aquilo que meus pais não me deram, que foi carinho amor atenção e me dar uma chance que eu tinha que acreditar que as noites que passei chorando chorando que quando ia para escola triste, um dia iria mudar que no dia seguinte seguinte ia ser diferente e foi, hoje estou aqui com meus dois filhos Davi e Iris e meu marido Harley que me ajuda muito me apoia de mais , meus pais que depois de muitos anos sem nem olharem para mim tem um orgulho imenso de saber desse dom que tenho de me relacionar com crinças e eu quero passar para meus alunos confinça, atitude, transparencia e muita garra sabedoria e acreditar que eles possam sentir o cuidado o amor e vou passar para eles sempre.Tudo que eu não tive.

Ver Tudo

Outras histórias


Ver todas


Rua Natingui, 1100 - São Paulo - CEP 05443-002 | tel +55 11 2144.7150 | cel +55 11 95652.4030 | fax +55 11 2144.7151 | atendimento@museudapessoa.org
Licença Creative Commons

Museu da Pessoa está licenciado com uma Licença
Creative Commons - Atribuição-Não Comercial - Compartilha Igual 4.0 Internacional

+