Busca avançada



Criar

História

EU, PROFESSORA: TRAJETÓRIA DE UMA PROFESSORA EM FORMAÇÃO

História de: Gabriele
Autor: Gabriele
Publicado em: 12/01/2022

Sinopse

O texto tem por objetivo detalhar de maneira sucinta a trajetória de uma professora em formação na Universidade Federal do Acre

Tags

História completa

A decisão de adentrar na Universidade Federal do Acre surgiu por volta de meus 17 anos, quando ainda estava no ensino médio na escola Heloísa Mourão Marques, realizei a prova do Enem e após a pontuação sair, decidi entrar na Universidade no curso de Engenharia Florestal em 2018 , comecei empolgada com toda a ideia de ser universitária, mas logo me deparei com professores altamente difíceis de se relacionar, colegas de sala que eram extremamente desrespeitosos uns com os outros não consegui me identificar com o curso em questão, me questionando se era essa profissão que gostaria de seguir depois de formada, acabei por chegar a conclusão de que não queria exercer tal profissão. No final de 2018 , me inscrevi novamente no ENEM, mas agora com o objetivo de conseguir entrar no curso Vespertino de Licenciatura em Pedagogia, em virtude de minhas tias materna e paterna serem pedagogas, adquiri interesse ao auxiliar uma delas com seu trabalho. Quando consegui entrar para o curso que queria, não houve decepção, em março de 2019 comecei o primeiro período na Pedagogia, nas primeiras semanas de aula a recepção dos professores foi excelente, a certeza de que era essa profissão que gostaria de exercer no futuro era incontestável, estabeleci novas amizades, em seguida veio as primeiras leituras de textos e com eles o sentimento de “ O que diabos estou lendo?” pois durante minha vida a leitura esteve presente mas não tão sofisticada assim, principalmente pelo fato de que em sequência da leitura vinha a produção pessoal, resumos, artigos, resenhas, entre outros trabalhos que me fez questionar sobre, a capacidade de compreendê-los, conforme o semestre progredia, através de esforço e persistência consegui alcançar a média necessária em todas as matérias. No segundo semestre de 2019, após um pequeno recesso que ocorre no meio do ano, as aulas começaram trazendo novos desafios, matérias, professores e conteúdos com o dobro de exigências. Nos primeiros dias começou novamente a correria pela parte da manhã conseguir, arrumar a casa, fazer as atividades, o almoço e chegar na parada de ônibus a tempo de ir para a aula, tem pessoas que fazem mais coisas, como trabalhar, cuidar dos filhos, por isso procuro não reclamar sobre minha situação. Conforme o semestre prosseguia, os laços de amizade e companheirismo com os demais colegas de turma aumentava, afinal as condições acadêmicas eram parecidas, principalmente quando chegavam as provas, divididas em N1, N2 e NF, incluindo os trabalhos para complementar a nota, no meu caso o que comprometia minha nota acadêmica era a ansiedade, antes de realizar a prova por não conseguir me concentrar e estudar o conteúdo adequadamente. As dificuldades aumentaram tanto quanto a demanda de atividades, alguns professores me marcaram pois não permitiam erros ou conversas paralelas em sala de aula, a comunicação de professor/aluno era extremamente complicada por não existir diálogo e ainda cobravam responsabilidade sem os mesmos também terem responsabilidade para com os alunos, mesmo assim como estudante consegui concluir mais um obstáculo, outro período da faculdade se encerrou. OS ESTUDOS DURANTE A PANDEMIA Em Março de 2020 comecei com a esperança que o novo ano acadêmico fosse bom, porém com alguns dias de aulas o Coronavírus ou COVID-19 surgiu em nosso Estado acarretando no fechamento de inúmeros estabelecimentos públicos, inclusive a Universidade Federal do Acre (UFAC), inicialmente iria ficar pouco tempo fechada mas as aulas foram suspensas por volta de seis meses, retornando em, outubro daquele mesmo ano. Com o ensino remoto emergencial tivemos inicialmente no curso de pedagogia a oferta de três matérias para o período em que estava estudando ( terceiro período) três vezes na semana. Durante o ensino remoto às dificuldades eram enormes tanto para os professores, que não estavam familiarizados com as novas ferramentas digitais necessárias para executar a aula, quanto para os alunos e principalmente para aqueles que não tinham acesso a Internet de qualidade, Celular, Computador, notebook ou tablete para acompanhar as aulas online, a falta de espaço adequado para se concentrar somente na aula é outra dificuldade que a Ensino a Distância (EAD) trouxe, a COVID-19 desestabilizou bastante a saúde mental de muitos alunos, que enfrentaram a doença ou as consequências da mesma, variando desde a perda de parentes ou amigos até o isolamento social, consequentemente acarretando um aumento da ansiedade ou depressão de muitos acadêmicos. Mesmo com todas essas dificuldades consegui concluir as três matérias propostas inicialmente, havendo novamente um recesso logo em seguida, pois não tinha data definida para o retorno das aulas presenciais. Chega então o mês de março de 2021 trazendo consigo mais cinco matérias referentes ao primeiro semestre de 2020, todas concluídas tendo como base, esforço, paciência e dedicação, nessa época adentrei no Subprojeto na Área de Pedagogia (PIBID) um programa de iniciação à docência, acarretando em mais sobrecarga de atividades acadêmicas. Inicia-se o quarto período do ensino remoto ainda em meio ao contexto da pandemia do Coronavírus em 2021, período referente ao segundo semestre de 2020 mais precisamente no mês de junho sendo ofertado exclusivamente através do ensino remoto oito matérias, com alguns professores parceiros, que compreendiam todo o contexto social de seus alunos, porém esse período trazia consigo outros docentes que não entendiam os alunos e ainda deixavam de dar explicações a respeito das notas acadêmicas. Todavia, consegui notas satisfatórias em todas as matérias assim terminando mais um período acadêmico. Iniciei o quinto período, nesse já não estou suportando o cansaço mental, pois a demanda de trabalhos aparentemente aumentou, mas como os outros períodos espero concluí-lo e continuar minha jornada acadêmica, a vida é feita de obstáculos e devemos sempre lutar para conquistar aquilo que queremos, no meu caso é a conclusão do curso bem como a certeza de que meu caminho trilhado até aqui foi realizado da melhor maneira que consegui, posso não ser a melhor aluna mas espero ser uma excelente profissional.

Ver Tudo

Outras histórias


Ver todas


Rua Natingui, 1100 - São Paulo - CEP 05443-002 | tel +55 11 2144.7150 | cel +55 11 95652.4030 | fax +55 11 2144.7151 | atendimento@museudapessoa.org
Licença Creative Commons

Museu da Pessoa está licenciado com uma Licença
Creative Commons - Atribuição-Não Comercial - Compartilha Igual 4.0 Internacional

+