Busca avançada



Criar

História

Eu, professora: trajetória de uma professora em formação.

História de: Juscineia de Carvalho
Autor: Juscineia de Carvalho
Publicado em: 07/01/2022

Sinopse

Relato da trajetória acadêmica de uma professora em formação pela Universidade Federal do Acre.

Tags

História completa

Nasci em Ji-Paraná, município de Rondônia. Sou filha de pais que infelizmente não tiveram a oportunidade de estudar e por este motivo sempre fui muito incentivada por eles a levar os estudos com seriedade e dedicação. Desde o Ensino Fundamental até o Ensino Médio estudei em escolas públicas, normalmente as mais próximas da minha casa. Estudar em escolas públicas nunca foi um problema para mim enquanto estava no Ensino Fundamental, pois sempre me foi oferecido um ensino de qualidade. No entanto, quando fui para o Ensino Médio, o ensino não era muito bom e, consequentemente, me impediu de ter um bom rendimento no exame nacional do ensino médio (ENEM). Quando estava no último ano do Ensino Médio, tinha decidido que gostaria de cursar Farmácia, todavia, em decorrência ao baixo rendimento no ENEM, não consegui nota suficiente para ganhar uma bolsa de estudos no curso pretendido. Com a nota que tirei, conseguia vaga em Pedagogia, Física, Matemática, Engenharia Ambiental ou Estatística; os únicos cursos que são oferecidos na Universidade Federal da minha cidade (UNIR). Dentre esses citados, só me restava Pedagogia, tendo em vista meu péssimo rendimento em áreas de exatas. Iniciei o curso de Pedagogia em julho de 2017, mas, por ainda querer cursar Farmácia, me inscrevi novamente no ENEM. O que eu não esperava era que a Pedagogia fosse me encantar tanto quanto me encantou e em tão pouco tempo. Para minha surpresa, em março de 2018, consegui bolsa 100% integral para Farmácia, mas já era tarde, pois já havia me apaixonado pelo curso de Pedagogia. Sempre ouvi algumas pessoas dizerem “não escolhi Pedagogia, a Pedagogia que me escolheu” e sempre achava um clichê isso. Mas, adivinha? Hoje, percebo a verdade que há por trás desta fala. A UNIR de Ji-paraná é bem pequena, com poucos alunos e poucos cursos, como já mencionado. No início de 2020, quando estava encaminhando para o 6º período, mudei para Rio Branco e precisei transferir o curso para a Universidade Federal do Acre (UFAC). Estudei 15 dias e tudo paralisou devido a pandemia. Em síntese, o ano de 2020 foi muito turbulento para mim em relação ao curso, pois, eu já estava encaminhando para o final do curso e, com a transferência, voltei para o 3º período, tudo isso me gerou muita ansiedade me levando a precisar de apoio psicológico para conseguir absorver tudo que estava acontecendo. Foi um período realmente muito difícil! Felizmente, depois de tudo isso que vivenciei, posso dizer e afirmar que sou muito grata e feliz por estar na UFAC cursando Pedagogia. Tem sido muito difícil estudar remotamente, mas, na UFAC, os professores são de excelência e é um ensino de altíssima qualidade e por esse motivo considero toda a correria do ensino remoto muito gratificante. Desde que entrei no curso de Pedagogia sempre quis participar de grupos de pesquisas, PIBID ou PIBIC, mas lá na UNIR não consegui participar de nada disso porque nunca tinha. Minha maior meta acadêmica, enquanto graduanda, era participar de um PIBIC. Sempre vi o PIBIC com brilho intenso nos olhos. Com tudo que vivenciei quando entrei na UFAC, não consegui entrar logo de início em nenhum projeto, mas, após alguns meses, depois de absorver tudo que estava passando, consegui ser bolsista do PIBID. Eu fiquei extremamente feliz e realizada e achava que já tinha “zerado” o currículo acadêmico devido a esse fato (risos). Foi e tem sido incrível participar do PIBID, aprendi e vivencie coisas essenciais para minha formação. Após um ano como bolsista do PIBID, surgiu a oportunidade de participar de um PIBIC. Nem preciso dizer que quase chorei de emoção! Eu já estava totalmente realizada por poder participar do PIBID e me parecia improvável conseguir o PIBIC também. No PIBIC eu seria bolsista também e, como já era bolsista do PIBID, tive que optar por uma das duas. Optei pela bolsa do PIBIC e fiquei como voluntária no PIBID. Tudo isso aconteceu no mês de novembro de 2021, ou seja, ainda não coloquei em prática o projeto de projeto de pesquisa. Vou à escola só em março, de momento estou organizando os materiais do projeto. Estou muito feliz e ansiosa para desenvolver a pesquisa na escola. Acima do sonho de participar do PIBID e PIBIC existe um outro sonho “master dos masters” que é o sonho de fazer mestrado e doutorado. Considerando tudo que tenho vivenciado, sinto que a UFAC aproximou a realização desse sonho. Toda essa caminhada até aqui, que é apenas o começo da minha jornada acadêmica, só confirma e torna evidente que cursar Pedagogia foi a melhor escolha que fiz. Pedagogia vai muito além de alfabetizar crianças, que é a visão que muitos têm, Pedagogia é a ciência que estuda o ato educativo em toda sua complexidade e isso me encanta e aumenta o desejo de prosseguir até o mestrado e doutorado. Além de tudo isso, pedagogia é também um curso para a vida, vai muito além de formar professores, ela forma pessoas mais humanas que têm o desejo de transformar a realidade por meio da educação.

Ver Tudo

Outras histórias


Ver todas


Rua Natingui, 1100 - São Paulo - CEP 05443-002 | tel +55 11 2144.7150 | cel +55 11 95652.4030 | fax +55 11 2144.7151 | atendimento@museudapessoa.org
Licença Creative Commons

Museu da Pessoa está licenciado com uma Licença
Creative Commons - Atribuição-Não Comercial - Compartilha Igual 4.0 Internacional

+