Busca avançada



Criar

História

Eu professora

História de: Karina Cipolini
Autor: Karina Cipolini
Publicado em: 12/10/2014

Sinopse

Uma reflexão do caminho que percorremos até chegar ao local onde tanto almejamos e a partir daí colocar em prática tudo o que sempre buscamos e sonhamos fazer.

Tags

História completa

Me recordo como se fosse hoje, quando consegui minha vaga para o nível médio, de formação, na área do Magistério. Na época ocorreu toda uma outra questão antes do meu ingresso no Magistério (mas isso daria uma outra história). Assim que tive a confirmação que faria o curso de Magistério, isso há 14 anos atrás, cheguei em casa muito feliz, cheia de sonhos, esperança, vibração e perguntei para a minha irmã, se ela tinha ficado tão feliz como eu quando ingressou no Magistério, ela me disse que não, parei por alguns segundos, mas resolvi seguir com o meu entusiasmo.

No início do ano, comecei a cursar, eu amava, de verdade, tinha a certeza de ter me encontrado, muitas experiências, professores maravilhosos, posso dizer realmente que aprendi muito, tive essa base muito sólida, que uso até os dias atuais, enfim, os anos se passaram, ao final do curso fui "coroada" em nossa formatura, com o título, "melhor aluna da sala", foi uma surpresa e tanto, aliás eu não tinha conhecimento que ocorria tal merecimento aos alunos formados anteriormente, enfim, me senti muito feliz, pois em todos os anos de escolarização da minha vida, nunca fui "intitulada" como melhor aluna.

A partir daí, fui me tornando adulta, lutando pelos meus objetivos como professora, ingressei no Ensino Superior, um grande sonho de continuidade dos estudos, que eu não admitia não realizar. Consegui cursar, ingressei e conclui também Pós-Graduação e outra Graduação na área da Educação. Durante esse tempo fui presenteada com um trabalho como "Professora Assistente", iniciei o contato de fato com as crianças, porém, foi um breve contrato de trabalho, logo se findou, trabalhei em outra área, para conseguir honrar com os meus compromissos com o curso de formação, novamente consegui ingressar novamente no Magistério, ainda por contrato, mas permaneci por 3 anos deliciosos, de um trabalho prazeroso com a Educação Infantil, Ensino Fundamental II e Médio.

Inesperadamente, surgiu uma outra oportunidade de trabalho, desta vez em um Projeto Social que chegou em nosso município, algo inovador, que muito me atraiu, onde participei de um processo seletivo e fui "contemplada", no início eu atuava como Educadora, porém, em menos de 6 meses passei a fazer parte da equipe gestora. Consequentemente, não atuava mais diretamente como Educadora, foram novos aprendizados, novos desafios, outras conquistas, porém, sempre "fugia" e quando estava precisando me reabastecer, procurava ficar ao menos um pouquinho junto com os participantes do projeto (alunos).

Passaram -se mais alguns anos, mas dentro de mim, continuava o forte desejo de voltar para a sala de aula como professora, quando ia até uma escola, chegava e sentia aquele cheiro de escola, sabe qual é??? Sim, aquele cheiro. Certo dia, tive a oportunidade de retornar para a escola, pois fui aprovada em um concurso público municipal e retornei para a sala, tudo era diferente daquilo que vivi há algum tempo atrás, mas o cheiro...ah aquele cheiro ainda estava lá, fui aos poucos me readaptando ao trabalho docente, aos inúmeros desafios da área docente/discente, estava procurando com todas as minhas forças, reencontrar toda aquela esperança e alegria que eu possuía há algum tempo atrás, de repente fui convidada para compor a gestão de um outra instituição, atraída pelo mundo da gestão, que eu havia aprendido tanto e que havia me trazido tantos resultados positivos aceitei, estava eu novamente, me afastando da sala de aula, eu confesso que até cheguei a pensar, que realmente sala de aula, não era mais para mim.

Passei um tempo na gestão desta instituição, que não atua na área da Educação. E o meu eu professora mais uma vez gritava dentro de mim, resolvi participar outra vez de um outro concurso público, agora na esfera Estadual, fui aprovada e acabei precisando deixar esse trabalho de gestão, para poder ingressar neste novo cargo, retomei para a minha sala de aula, na esfera municipal e iniciei na esfera estadual. Posso dizer que foi um verdadeiro regresso, um regresso cheio de esperança, onde eu realmente buscava motivos para reencontrar aquela professora que eu tinha certeza que estava dentro de mim. Ao mesmo tempo, iniciava algo novo para mim, na esfera Estadual, o trabalho com Educação Especial, buscava a cada dia uma maior compreensão desse campo, ainda mais desafiador e posso dizer incompreensível ainda por muitos, mas ainda, em alguns momentos de dificuldade, de dúvida, se eu estava realmente dando o meu melhor como educadora, se estava no caminho certo, com todos os meus alunos, ainda pensava será que ainda sou professora???

Mais uma vez, resolvi participar de um outro processo seletivo para atuar como professora de um curso de formação profissional de Cuidador Infantil, consegui ingressar por meio dos estudos, preparação de aulas, foi ressuscitando em mim aquela professora entusiasmada, com vontade de fazer realmente e o mais importante consciente do valor do seu trabalho, da possibilidade que tenho de semear sementes na infância, adolescência e vida adulta.

Vivemos um tempo em nosso país no qual os valores precisam ser vividos na prática e que as responsabilidades da escola e professores se tornaram ainda maiores por motivos inúmeros que acabam se evidenciando em sala de aula, na fala, nos gestos dos nossos alunos. Assim, é preciso acreditar, olhar nos olhos dos nossos alunos e acreditar que vale a pena, investir em nós mesmos e neles também, pois um trabalho sérioé garantia certa de bons resultados. Fico pensando em meu trabalho, no 'eu professora', o quanto tenho feito e me comprometido, e tenho certeza que esse é o caminho, que a Educação faz parte da sobrevivência humana, assim como andar, falar e comer.

Ler, escrever, interpretar, calcular, enfim, são atributos fundamentais para a vida social e para a felicidade do ser humano, como é nobre ser professor, é preciso que cada professor encontre dentro de si mesmo motivos para seguir a cada dia, as adversidades são inúmeras, mas acredito que retomar ao primeiro amor, aquele que nos impulsionou lá no início de nossa carreira é a chave para a nossa satisfação pessoal e profissional e assim seremos realmente inspiradores de nossos alunos, formadores de gente, gente do bem, independente de sua cor, raça e classe social e também inspiradores de outros profissionais. Se alguém me perguntar qual é o segredo para ser uma professora realizada, eu responderei: encontre o seu 'eu professor', e assim será muito feliz e o seu caminho será bem mais suave!

Feliz Dia dos Professores para todos nós!

Ver Tudo

Outras histórias


Ver todas


Rua Natingui, 1100 - São Paulo - CEP 05443-002 | tel +55 11 2144.7150 | cel +55 11 95652.4030 | fax +55 11 2144.7151 | atendimento@museudapessoa.org
Licença Creative Commons

Museu da Pessoa está licenciado com uma Licença
Creative Commons - Atribuição-Não Comercial - Compartilha Igual 4.0 Internacional

+