Busca avançada



Criar

História

Este é meu testemunho para vocês

História de: Mariane Pereira Ramires
Autor: Mariane Pereira Ramires
Publicado em: 19/01/2022

Tags

História completa

Frequento a igreja desde a minha infância e na adolescência recebi Jesus como meu Salvador, mas sempre andei na beira do rio de Deus como Ezequiel fala no capítulo 47. Eu “tentava” ser uma boa menina com Deus e Ele era bom comigo (quanta inocência, eu não sabia de nada mesmo! rs). Tudo na minha vida ia bem, apesar das lutas (que todos nós temos). Em 2011 conheci alguém pelo o qual me apaixonei, hoje meu atual marido, quando o conheci era apaixonada por outra pessoa, e ele nem queria saber de relacionamentos, eramos muito jovens. Da paixão até o compromisso foram aproximadamente 2 anos e alguns meses. Decidi então lutar por aquele amor. Em 2012 consegui a amizade dele e tudo estava caminhando na direção certa. Tudo ia bem com Deus, afinal eu era uma boa menina que ia na igreja todos os cultos (todos mesmo), participava dos ministérios, não ouvia música secular, não andava de forma indecente, até orava e lia a bíblia...rs. Eu era uma crente “politicamente correta”, igual a uma criança quer ganhar presente do Papai Noel e estuda pra passar de ano..rs. Era assim a base do meu relacionamento com Deus. Achava que para ganhar as coisas eu tinha que fazer por merecer, então me comportava muito bem. Até então eu não tinha consciência da minha motivação errada em amar e servir a Deus. Achava que as bençãos que eu tinha eram frutos do meu “esforço”. Mas um dia a máscara cai pra todo mundo e o Espírito Santo trás à tona os pecados ocultos. Nessa época comecei a ouvir os tão dolorosos NÃOs de Deus. Minha amizade com meu amor foi por água a baixo, após uma brincadeirinha de mal gosto de uma "amiga". A nossa amizade foi destruída, porque ele sempre odiou criancices. Foi bastante doloroso conviver com a ideia de que havia perdido algo que já estava nas minhas mãos. Então, decidi esperar o tempo que fosse preciso. Na mesma época começaram a acontecer alguns problemas com o modo do meu pastor falar comigo. Ao invés de eu orar e levar as minhas queixas pra Deus, eu resolvi largar o meu ministério. Decidi que não iria em igreja alguma pois podia muito bem orar, ler a bíblia em minha casa (quanta inocência parte 2! rs). Decidi então, aderir ao movimento: Jesus sim e igreja não. Fiquei uma semana sem ir á igreja, tentando enganar minha mãe (que por sinal não largava meu pé)Rs. Meu relacionamento baseado em trocas com Deus se arruinou. Eu, que sempre fiz tudo certinho, agora via pessoas que considerava menos santas que minha pessoa, namorando, crescendo no ministério e eu lá parada, muitas pessoas abençoadas por Deus como a esposa do meu atual pastor (#LedaFagundes) todos os dias me convidavam para ir á igreja, Deus não desistia de mim. Mas eu não percebia isso, que mesmo as coisas não acontecendo do jeito que eu queria, Deus ainda era muito bom comigo. O orgulho, inveja, maledicência, tudo isso veio à tona na minha vida e comecei a sentir raiva de Deus. No início da minha “rebeldia” com o Senhor, eu fui visitar a minha atual igreja. As pessoas lá não me conheciam e isso era bom no meu ponto de vista, já que eu estava sinceramente envergonhada com Deus. Durante uma destas oportunidades Deus usou a vida de um irmão, que eu nem conhecia, para falar comigo: “Deus manda te dizer jovem : - Neste altar que você pisa hoje eu trarei o teu escolhido, não saia para procurar em outro lugar, Eu o trarei aqui”. Como assim trazer aqui? Eu sempre ia em todas as igrejas da cidade procura-lo e agora Deus havia dito que o traria á mim. Mas só quem é nascido no Espírito entende das coisas do Espírito e isso era uma coisa que eu não era, ainda. O tempo foi passando e eu comecei a sentir uma tristeza, comecei a afundar cada vez mais em minha raiva, rancor e mágoa com Deus. Até que um dia após muito tentar saber quem era meu escolhido, resolvi me declarar para meu amado e como já imaginava, além de me rejeitar ele me humilhou. Durante aquela conversa eu disse uma frase que nunca vou esquecer. “Eu nunca mais quero ver esse garoto na minha frente, para mim ele morreu hoje!”.Sai da cidade logo em seguida a após algumas brigas com Deus, Ele resolveu falar comigo. Ao ouvir a voz de Deus resolvi obedecer e voltar para minha cidade. Ao chegar aqui, fui até ao monte e lá movida pelo Espirito Santo orei dizendo: "Senhor, hoje venho a ti, não para pedir que o Senhor me dê ele, porque eu já sei que isso não pode acontecer, (e com lágrimas nos olhos ) mas Pai! Por favor!? Cuida dele? protege ele, e nem que for para ele ficar com quem ele ama, por favor!? Traga ele de volta para sua casa,serei feliz só em vê-lo feliz... Uaaauu o que foi isso? Eu disse isso mesmo? Não, não fui eu quem disse. Foi o Espírito Santo que disse! E o Espírito Santo ainda falava através de mim? Naquele momento entendi perfeitamente como Paulo diz, em 2 Coríntios 4:7, que temos, porém, esse tesouro em vasos de barro, para demonstrar que este poder que a tudo excede provém de Deus e não de nós mesmos. E eu era um vaso de barro todo quebrado, mas o Poder de Deus ainda habitava em mim. Eu fiquei o dia todo com esta oração na minha cabeça e só me lembrava de uma música: Outra Vez Mara Maravilha. “De repente eu me pergunto se você foi ilusão, Foi apenas um encontro e eu te dei meu coração. O que foi que aconteceu pra que eu te amasse assim? Seja lá o que for, ficou dentro de mim” dizia a letra da canção. Eu sabia exatamente o que fazer para sair do pântano da amargura, mas como fazer? Com que forças? Foi então quando decidi parar de sonhar com coisas que eram meras ilusões e ir para o culto. No momento em que entrei lá, a minha vontade era dar meia volta e voltar para casa (ainda mais depois de ver um rapaz muito feio sentado na última cadeira, da última fileira, perto da porta Rs). Era ele! Era o meu amado, mas o inimigo não ia desistir tão fácil, as lembranças das humilhações vieram a tona naquele momento... Durante meses eu ia às reuniões e não conseguia me “conectar” com o Pai. O culto pegando fogo e eu lá, mais fria do que um ice berg. Muitas vezes saia do templo com raiva e eu não conseguia explicar o porquê. Eu precisava passar pelo processo de libertação e isso só temos em “consultas regulares com o Dr. Jesus”...rs. Voltar a ser uma pregadora, ter dons, ou sei lá o que, não iria me libertar, se eu não tivesse um Encontro Verdadeiro com Deus. Mas Deus não nos olha como estamos e sim como Ele nos criou, e Ele decidiu me resgatar das cadeias do inferno. “Mas Deus prova Seu amor para conosco assim, sendo nós ainda pecadores, Cristo morreu por nós” (Romanos 5:8). Gosto muito desse versículo que fala que Deus nos amou primeiro e faz o que for preciso para nós resgatar, entregando Jesus à morte. E foi assim que Ele fez para me alcançar de novo. Ele me mostrou o seu infinito amor, antes que eu clamasse por Ele. Eu estava presa na armadilha de satanás e queria sair de qualquer jeito. Porém, eu queria sair com a minha própria força. Eu tinha vergonha de Deus, porque eu havia me esquecido dEle. Eu não tinha a “cara de pau” de pedir algo pra Jesus (olha o orgulho ai, além da dúvida de que Ele poderia realmente fazer algo por mim). Eu estava sozinha, lutando contra a opressão do inferno (sozinha, porque eu não deixava Deus lutar por mim), em meio à tantos sonhos frustrados apenas tinha um que havia sobrevivido, o de ter o amor da minha vida na presença de Deus. Este era o meu sonho desde quando conheci a história da vida dele, desde que soube que ele era da igreja desde os 11 anos de idade e que havia se desviado dos caminhos do Senhor e perdido toda a unção que ele recebera das mãos do nosso Deus, mas nunca pedi isso pra Deus por não me achar habilitada para isso. Em 01/junho/2013 meu amor se firmou na atual igreja em que eu estava congregando (porque ele já era daquele ministério bem antes de eu congregar lá) OBS: eu não sabia disso quando fui para lá, Rs. Como assim? Ele nunca falava comigo, porém, naquele dia havia algo diferente. Ele me falou assim: Deixa eu ver as cordinhas do seu vestido, vou tira-la porque são engraçadas. Como assim!? Ele queria estragar meu vestido? É claro que sem eu nem mesmo responder, ele já havia estragado sahshahshahs! Eu mal podia acreditar que isto estava acontecendo. Deus estava sendo bom comigo, mesmo com o meu mal comportamento. Foi ai que a minha vida começou a mudar. Ficou ali naquele momento um clima de amizade, de novo eu teria ele perto de mim. Durante o tempo juntos, nos aproximávamos cada vez mais e conhecíamos mais e mais um sobre o outro. Mais uma benção alcançada, mas eu ainda estava muito triste e tinha vergonha de Deus (fazia quase um ano que não falava nem em línguas dos anjos). Bom continuei minha amizade com ele. Dois meses se passaram e quando eu menos esperava ele começou a dar sinais de que havia chances entre nós, ainda com medo não me manifestei.. Até que um dia ele me beijou e tudo começou a acontecer como eu sempre quis, notei Deus trabalhando na minha vida ao meditar na letra daquele louvor que diz assim : "Eu já não podia resistir e com um beijo e com amor Te entreguei meu coração, me apaixonei". Ali as cadeias quebraram e eu estava livre para viver tudo o que Jesus tinha preparado pra mim. Em menos de um mês ele me presenteou com uma aliança linda. Mais uma benção veio para mudar a minha vida. Deus havia me restaurando e fazendo tudo novo em meu viver. Estava avivada com o Espirito Santo, ministrando a palavra de Deus, louvando e ajudando meu amor a liderar os jovens da nossa igreja. Há e sobre a revelação? Meu amor veio no altar da minha igreja, não como pregador formado, nem como cantor, muito menos como baterista, nem nada do tipo, ele levantou a juventude em oração no altar e foi lá que encontramos o alicerce do nosso amor e do nosso Avivamento Espiritual! Hoje vejo o quanto Deus é bom comigo, não por eu ser boazinha, mas porque a bondade e a misericórdia fazem parte do caráter dEle. As circunstâncias não mudam quem Ele é. Tudo o que eu fizer para Ele, nunca chegará perto do que Ele fez por mim. Não paga nem o juros da dívida que eu tinha e Ele pagou! Tudo o que eu falar, disser e fizer será nada perto da altura, largura e comprimento do Seu amor por mim. Desculpe - me o texto enorme, mas precisa compartilhar meu testemunho com você.

Ver Tudo

Outras histórias


Ver todas


Rua Natingui, 1100 - São Paulo - CEP 05443-002 | tel +55 11 2144.7150 | cel +55 11 95652.4030 | fax +55 11 2144.7151 | atendimento@museudapessoa.org
Licença Creative Commons

Museu da Pessoa está licenciado com uma Licença
Creative Commons - Atribuição-Não Comercial - Compartilha Igual 4.0 Internacional

+