Busca avançada



Criar

História

Eletrizando a atmosfera

História de: André Ghizzi Guazzelli
Autor: Museu da Pessoa
Publicado em: 30/05/2016

Sinopse

André Ghizzi Guazzelli, mais conhecimento na noite paulistana como Dre Guazzelli é um DJ e promoter de festas que contou sua história de vida ao Museu da Pessoa em 2015. Em seu depoimento ele relembra a infância no bairro do Itaim Bibi, as brincadeiras e os estudos no Colégio Porto Seguro. Conta como começou seu envolvimento com a música e descreve a cena paulistana de raves e festas com estilos musicais variados. Por fim, fala sobre o trabalho desenvolvimento com a Inner multi.art, uma festa que acontece semestralmente na capital paulista.

Tags

História completa

Acho que minha mãe tinha 18, veio pra São Paulo fazer faculdade, acabou conhecendo meu pai, até dar 17 anos de casamento e se separaram. Meu pai trabalhava na empresa do meu avô de organização de feiras. E ele nunca mais parou de trabalhar com isso, até a empresa ser vendida para uma empresa alemã. A minha vida inteira dos 30 anos foi sempre no Itaim e antes de eu nascer eles já moravam no Itaim, ali na região. Eles se separaram quando eu tinha 12 anos. E uma coisa boa é que a família do meu pai tinha casa em Ilhabela e a família da minha mãe no interior. Então eu fiquei entre cidade, interior e praia, peguei um pouco de cada. Isso ajudou muito na minha formação, eu tenho certeza, eu sinto isso. 

 

A gente já convivia com pessoas mais velhas também, eu já tinha essa ideia, já tinha batido no meu coração e no meu estômago que eu gostava muito daqueles ambientes de viajar, de música, e a gente começou a fazer uma movimentação, convidou uma galera e falou: “Ó, vamos fazer essa festa X”. E essa festa X a gente fez até umas sete edições. Começou 200, 300, 400, 500 pessoas, juntou gente do Santo Américo com Santa Cruz. E tinha cinco amigos que tocavam como DJ também, eu era um deles. Começou a história de movimentar pessoas, de convidar, de fazer festa, de colocar ideias em prática do que seria mais legal colocar naquele ambiente pra que as pessoas tivessem uma experiência diferente. E resolvi criar uma festa nova.

 

Eu sempre pensei numa plataforma e nunca pensei em mim mesmo, na minha carreira como DJ, sempre pensei em ter ambiente pra tocar criado por mim e eu poder participar de outros e não simplesmente depender só da tocada como DJ. A festa acabou de acontecer a décima quinta edição, foi sexta passada. Chama Inner multi.art. Hoje em dia vão cem artistas, são três palcos, um maior que é de música eletrônica, que é o som que eu mais gosto, que é o Deep House. A gente tem um palco de hip hop. A gente tem um palco externo. Tem essa parte que eu sempre falo de pensar na plataforma e pensar mais no todo e na experiência das pessoas, então essa festa em 2005 as pessoas encaravam como uma loucura de juntar artista com banda, com rap, com música eletrônica. E passou de 400 pessoas para umas três mil, três mil e poucas.

 

Desde os primórdios, a gente criou um lema que é reaproveitamento, reinvenção e ampliação da vida útil de tudo o que a gente consiga, seja a produção de um flyer, que hoje em dia nem existe mais, mas era o convite em papel que a gente fazia em pano, até as estruturas que a gente usa internamente na festa e até chegar num ponto que em 2008 a gente conseguiu reciclar quase 100% dos resíduos. E a gente faz isso até hoje, a gente vai fazer cada vez mais.

 

Um negócio que eu sempre busquei pra minha vida e pras minhas atividades e pras festas ou pras coisas que eu estou envolvido é trazer uma energia boa pra aquele ambiente. Então falo de uma atmosfera, e uma atmosfera você não compra, atmosfera você cria. E uma atmosfera não se cria da noite pro dia, tem que ter muita convergência entre as pessoas que estão envolvidas, as atividades exercidas, os ideais, os objetivos. E isso você acaba fazendo as pessoas sentirem, né? É o que os olhos não veem. É um lado da energia que é tão importante quanto o resto pra você gerar felicidade nas pessoas, que é a energia boa, a energia que atrai, a energia que te instiga, que faz você passar por ela e aquela energia te transformar. E você ser algo mais ou algo melhor do que você era, seja um minuto ou um dia atrás. E tem todo o fato da outra energia, a energia que a gente vê, a energia que a gente está aqui e que basicamente sem ela a gente conseguiria sobreviver, mas ela veio pra ajudar em diferentes aspectos, né? Se for ver a música eletrônica é eletrônica, o eletro vem da energia elétrica, senão ficaria só na música e não na música eletrônica, né? Eu acho que tudo tem essa interdependência entre as coisas, é o lado mais mágico e acho que é o grande segredo da vida atual. Como você achar um balanço e equilíbrio entre tanto a parte material e tecnológica quanto a parte espiritual e física.

Ver Tudo PDF do Depoimento Completo

Outras histórias


Ver todas


Rua Natingui, 1100 - São Paulo - CEP 05443-002 | tel +55 11 2144.7150 | cel +55 11 95652.4030 | fax +55 11 2144.7151 | atendimento@museudapessoa.org
Licença Creative Commons

Museu da Pessoa está licenciado com uma Licença
Creative Commons - Atribuição-Não Comercial - Compartilha Igual 4.0 Internacional

+