Busca avançada



Criar

História

Do Partido do Trabalho Árduo

História de: Antonio Sérgio Pizarro Fragomeni
Autor: Museu da Pessoa
Publicado em: 16/12/2014

Sinopse

Antonio conta a história de sua ascendência italiana, as suas diversas migrações da infância à adolescência, a carreira militar de sua família, sua formação no Colégio Militar e no Instituto Militar de Engenharia. Conta como conheceu sua esposa, a entrada na Petrobrás, a exploração da Bacia de Campos, o trabalho no gabinete de diversos diretores, o cotidiano do trabalho, sua vida atual (2003) e seus sonhos para o futuro.

Tags

História completa

Lá na Bacia de Campos, a Bacia de Campos ela é da nossa época. Foi criado um Grupo Executivo de Desenvolvimento da Bacia de Campos. Chama-se Gecam. Esse grupo, ele era responsável, primeiro, pela operação desse Sistema Antecipado de Garoupa. A Bacia de Campos foi descoberta por Garoupa. Em Garoupa era o poço RJS 9 A, que é o descobridor da Bacia de Campos. É um dos poços de Garoupa. Na verdade foram feitos oito poços antes sem sucesso até chegar no de Garoupa, que é a descoberta da Bacia de Campos. Então, com a criação do Gecam - o Gecam, ele supervisionava... A Bacia de Campos era dividida em duas áreas: pólo norte e pólo sul. Em cada área tinha uma plataforma que seria a plataforma central, que recebia das plataformas satélites e mandava óleo e gás para terra. Na área norte, a plataforma central era a plataforma central de Garoupa. A gente chama PGP 1 de Garoupa. E tinha as plataformas satélites, duas plataformas do campo de Namorado, Namorado 1 e Namorado 2, e duas plataformas no Campo de Cherne, Cherne 1 e Cherne 2. Então, aqui tem cinco; Garoupa, Namorado 1, Namorado 2, Cherne 1, Cherne 2. Na área sul, a plataforma central era de Enchova, plataforma central de Enchova, PCE 1, e ligava ela para a plataforma de Pampo e anteriormente num programa anterior tinha plataforma de Badejo, que seria ligado lá, mas depois se decidiu que não se ligaria. Então, Enchova também tinha duto, gasoduto e oleoduto para terra. Então, isso é que era o desenvolvimento da Bacia de Campos. Sete plataformas. Então, tinha oito empreendimentos, que além dos sete empreendimentos de plataformas, tinha mais um empreendimento de dutos submarinos. Então era empreendimento de Garoupa, Enchova, Namorado1, Namorado 2, Cherne 1, Cherne 2, Pampo e dutos submarinos. Nós éramos oito gerentes em empreendimentos. A que sofreu o acidente foi o empreendimento provisório de Garoupa, que éramos nove então, que tinha o provisório que já existia... O provisório existia antes da criação do Gecam. Ele era do Depro ainda. Ele foi incorporado ainda.

Essas foram as primeiras plataformas. Estou fazendo um histórico. Uma dessas plataformas afundou. A plataforma de Namorado, a jaqueta de Namorado foi fabricada na Escócia, num local chamado Inverness. Quando ela foi transferida para o Brasil... Ela caiu da balsa. Ela afundou, mas aí era só a estrutura metálica. Aí essa estrutura, o seguro pagou a construção de uma outra, que foi feita pela Mac Dermott, lá nos Estados Unidos. É a plataforma de Namorado 1.

Deixa eu comentar para você entender o quadro, o quadro geral da Bacia de Campos. Então, tem esse conjunto dessas sete plataformas, que era o Gecam que fazia. Todas elas eram plataformas fixas. Paralelamente a isso, existiam as plataformas flutuantes, porque era para antecipar a produção. Mas na plataforma flutuante o gás não podia ser... era queimado em geral. São as plataformas que o Salim Armando descreveu, que são as plataformas de Bonito, de Corvina, de Garoupinha. É um sistema que convive com esse no mesmo local. Uns são plataformas flutuantes, outros plataformas fixas. Além desse sistema, posteriormente, a Petrobras descobriu uma área, eu disse assim, norte e sul, não é? Na área nordeste da Bacia de Campos. Então veio o pólo nordeste, que aí o pólo Nordeste já foi conduzido pelo Segen. O Gecam já tinha. Aí o Solon falou sobre o pólo nordeste e o pólo nordeste também eram, acho, sete plataformas porque era Pampo, mas em Pampo... Era Pargo, eles fizeram duas, três em Carapeba, três em Vermelho. Três, três, sete e oito, oito plataformas.

Então, Bacia de Campos é isso. Aí depois da Bacia de Campos, nós começamos a entrar em águas profundas. Isso que a gente está falando é em torno de 120 metros. O pólo Nordeste é em torno de 80 metros. Mas aí a Petrobras começou a ir para águas cada vez mais profundas. Chega à região abissal. Nós estamos com um programa de desenvolvimento para mais de três mil metros de profundidade. Só que vai ficando muito caro. A medida que você vai indo para áreas mais fundas vai ficando cada vez mais caro. Já estamos a 1.800... Eu não sei o número exato, assim, de cabeça, 1.860 metros eu acho. Em Roncador. Já é na abissal, já funcionando. É recorde mundial de produção. É a mais profunda do mundo. Por isso que nós ganhamos esses prêmios da OTC, da Offshore.

Ver Tudo PDF do Depoimento Completo

Outras histórias


Ver todas


Rua Natingui, 1100 - São Paulo - CEP 05443-002 | tel +55 11 2144.7150 | cel +55 11 95652.4030 | fax +55 11 2144.7151 | atendimento@museudapessoa.org
Licença Creative Commons

Museu da Pessoa está licenciado com uma Licença
Creative Commons - Atribuição-Não Comercial - Compartilha Igual 4.0 Internacional

+