Busca avançada



Criar

História

De empregado a patrão

História de: Aparecido de Jesus Ribeiro
Autor: Eliana Neves Pedro Ferreira
Publicado em: 31/10/2018

Sinopse

"Sempre gostei de ajudar e faço tudo o que for possível pelos outros".  Cidinho tem uma bicicletaria, faz teatro e seu maior sonho é ter uma saveiro, para encher de bonecas e bolas e distribuir pela vila onde mora.

Tags

História completa

Aparecido de Jesus Ribeiro, o Cidinho, como é conhecido, nasceu em 27 de outubro de 1978. Desde a infância, sempre foi bastante bagunceiro, gostava de caçar passarinho e pescar. Tem 5 irmãos e 1 de criação. Mora na Divinéia desde criança, sua infância foi difícil, pois ajudava o pai no sitio que ele trabalhava, acordava cedo e ia tirar leite da vaca e abrir a porteira para os bois. Frequentou o ensino fundamental na escola Maria José Rios e sua professora preferida era a Dona Antônia Brasque que o ajudava muito e por isso nunca a esqueceu. Com relação a seus pais sempre foi muito obediente. Se casou com 18 anos, tem 3 filhos e agora está vindo o quarto filho que é uma menina. Como pai faz tudo o que pode pelos filhos. Seu maior arrependimento foi quando se separou da esposa, pois pode perceber sua maior riqueza que é estar ao seu lado. Gosta muito do carnaval, foi uma forma de se aproximar de seus amigos. Quando participou da primeira vez foi a convite do Jarbinha, ensaiou pouco tempo e logo já estava desfilando com a bateria.  Meu melhor amigo é Deus, mas em especial tem um que faleceu há pouco tempo de acidente de moto e espera que ele esteja em um bom lugar. Sua amizade era de irmãos mesmo. Certo dia ele soube que precisaria fazer quimioterapia. Chegou ao serviço chorando e nesse dia choraram juntos. Gosta de participar da corrida de bóia realizada todos os anos em Santa Cruz do Rio Pardo. Consiste em descer o rio em uma bóia feita de pneu de tratos ou caminhão, mas certa vez passou um puro danado, pois se enroscou num paredão e demorou para sair dali. Hoje em dia possui uma bicicletaria onde sempre que pode ajuda crianças ou arrumando um pneu ou até conseguindo uma bicicleta.  Certo dia, quando estava andando por ai com sua bike, no bairro vila 80, uma senhora o chamou pelo nome e disse que gostaria de doar 2 bicicletas para crianças carentes. Logo após conseguiu realizar o sonho de 2 crianças. Sua relação com os irmãos sempre foi muito boa e quando faziam arte apanhavam todos. Na vila Divinéia não possuía água, luz e asfalto quando queria assistir televisão ia sempre na casa do seu Gumercindo. Ele abria a janela da sala e todos sentavam do lado de fora para assistir.  Quando criança sempre passou por apuros no rio Pardo, mas nunca deixou de atravessar o rio por causa disso.  Representar no teatro FALA VILA “João Nervoso” é uma grande honra, pois era o seu maior sonho fazer o papel de um representante da vila. Espera representar muito bem. Foi através do teatro que conheceu pessoas especiais que trabalham no CRAS de Santa Cruz do Rio Pardo, onde também ajuda aos domingos no café da manhã na vila, onde procuram oferecer um café digno para as crianças e se fica difícil conseguir as doações ele e sua mulher mesmo compram. Seu maior sonho é conseguir comprar uma saveiro e encher de bonecas e bolas e distribuir para as crianças da vila.  O que mais o agrada é oferecer o pouco do que tem para fazer as crianças felizes.

Ver Tudo PDF do Depoimento Completo

Outras histórias


Ver todas


Rua Natingui, 1100 - São Paulo - CEP 05443-002 | tel +55 11 2144.7150 | cel +55 11 95652.4030 | fax +55 11 2144.7151 | atendimento@museudapessoa.org
Licença Creative Commons

Museu da Pessoa está licenciado com uma Licença
Creative Commons - Atribuição-Não Comercial - Compartilha Igual 4.0 Internacional

+