Busca avançada



Criar

História

Correios: um caso de amor à primeira vista!

História de: Angelina Ribeiro de Sousa
Autor: Angelina Ribeiro de Sousa
Publicado em: 24/07/2013

Sinopse

CORREIOS: UM CASO DE AMOR À PRIMEIRA VISTA Correios e EU, uma relação cada vez mais forte que iniciou em 1980 e se solidifica a cada dia, gerando e construindo soluções acessíveis para conectar pessoas e instituições no Pará, no Brasil e no mundo, que de pequena como eu se transforma continuamente num potencial cada vez maior: Uma empresa de classe mundial! Angelina Ribeiro de Sousa Psicóloga/ CRP 10/01512/PA Matrícula: 8.204134-2 Fone: 91-32113109

Tags

História completa

No Estado do Pará, por volta de 1967, com 7 anos de idade, minha família e eu deixamos uma localidade Ribeirinha no Município de Breves, com destino ao Município de Santana no Amapá e um sonho na cabeça da minha mãe: colocar os 9 (nove) filhos para estudar. Meu pai filho de família indígena não possuía muita consciência da importância do sonho de minha mãe. Agia assim devido a sua cultura. Na cidade, não teria como suprir o sustento da família - ”não sabia se virar” e se via “aperriado”. No interior, era lavrador, pescador, caçador e seringalista. “Se virava” muito bem e a família não passaria fome, segundo ele! Pois bem, chegando ao destino, minha mãe se pôs a procurar escola para os filhos estudarem. Todos muito animados e dedicados, passaram a apresentar bons rendimentos nos estudos. Aos 10 anos de idade, para ajudar no sustento da família, fui morar com um casal que tinha uma menina, recém-nascida, chamada Ana Pillar. Trabalhei como babá por 01 (um) ano e depois fui ser doméstica em outra residência, também em Santana/AP. E nessa época concluí o ensino fundamental e tive que fazer uma escolha cruel, parar os estudos, e somente trabalhar para ajudar minha mãe e os meus irmãos mais novos. Nesta época os os meus pais já haviam se separado. Infelizmente, o meu pai não conseguiu se adaptar a cidade, tentou ir e vir do interior trazendo algum mantimento mas a relação conjugal ficou muito fragilizada e os conflitos venceram e destruíram o casamento. Fui trabalhar como serviços gerais em uma Papelaria e como me destaquei passei a atendente/gerente ainda na mesma Papelaria. Paralelamente, fiz um teste para telefonista, numa empresa multinacional e fui contratada. Fiquei nesta empresa por três anos, até o momento que recebi um convite! Viajei para Tucuruí em 1980, a convite de minha irmã que já estava trabalhando na Usina Hidrelétrica de Tucuruí e foi nesta época que nasceu a minha grande paixão pelos correios que se tornou um caso de amor à primeira vista. Trabalhei por 5 anos na Camargo Corrêa/Tucuruí. Correios, significou um elo de ligação entre mim e minha família lá em Santana no Amapá. Através do único veículo, Correios, os laços se mantinham fortalecidos. À época, minha família não possuía telefone por falta de condições financeiras, isto facilitaria o contato. Assim, permaneci e me habituei a postar e procurar as cartas na agência dos Correios da vila permanente, onde ficava localizado o canteiro de obras da Usina hidrelétrica de Tucuruí. Os funcionários da agência dos Correios - um atendente e um carteiro - me conheciam de tantas idas e vindas à agência em busca de notícia da minha família! Em 1990, retomei os estudos e vim para Belém fazer faculdade de Psicologia e quando me formei fui trabalhar em empresas privadas e públicas e um dia olhando editais para concursos, deparei- me com o edital dos Correios oferecendo uma vaga para psicóloga. A paixão reacendeu e o desejo agora era de poder trabalhar nesta empresa que foi tão importante para mim e minha família! Mostrando-me as “Soluções que Aproximam”! Pensei chegou a minha hora! Realizei o concurso e fui a 9ª colocada. Não desanimei sequer por um minuto. Toda semana olhava o site dos correios! Um belo e especial dia me deparei com uma convocação para o estado de Mato Grosso do Sul. Conversei com os meus filhos, minha mãe e irmãos e mesmo sem nunca ter saído do Norte: Pará e Amapá, para outro estado, me joguei com tudo e aceitei de imediato, sem conhecer nada e nem ninguém! Antes de ir para Campo Grande porém, fiz várias perguntas, como era a cidade, clima, violência urbana, etc. Creio que isso deixou o colega (Cícero) de Campo Grande preocupado, e Ele me assegurou: Apanho você no aeroporto e o que fez prontamente. Neste mesmo dia, Ele e sua esposa me levaram ao shopping e me orientaram a respeito da minha localização na cidade e ônibus. Fui muito bem recebida e tratada pelos colegas dos Correios de Campo Grande! Povo que nunca esquecerei o carinho e a amizade a mim dedicados por 2 anos. Surgiu uma vaga na DR/PA e fui contactada se tinha interesse. Claro! Pois, minha mãe idosa e doente precisava de mim urgentemente, e eu aceitei voltar ao meu Pará depois de atender a todos os critérios do SNT- Sistema Nacional de Transferência. Novamente, os Correios nos uniu fortemente, através da transferência. Na minha despedida de Campo Grande (2011), foi emocionante o carinho e a homenagem que recebi de todos. Uma bonita demonstração de amizade que jamais esquecerei! Sentia uma dor forte, por estar deixando a DR/MS órfã profissionalmente, pois a mesma ficou sem psicóloga e muita alegria por estar retornando para minha família e poder permanecer na empresa que eu amo! Hoje estou ao lado da minha família, muito feliz por trabalhar nos Correios, uma empresa que tem em seus valores: a ética e o respeito aos seus empregados! Outro dia quando estive em Tucuruí a trabalho dos Correios, por conta de um assalto ocorrido aos colegas carteiros do CDD Tucuruí, um deles vítima do assalto, me reconheceu e após o atendimento psicológico perguntou se eu lembrava dele. Imediatamente, busquei pelos arquivos da memória e também lembrei do colega carteiro. E, como num filme, as lembranças vieram todas daquela época tão significativa da minha vida! E assim seguimos juntos Correios e EU, uma relação cada vez mais forte que se solidifica a cada dia, gerando e construindo soluções acessíveis para conectar pessoas e instituições no Pará, no Brasil e no mundo, que de pequena como eu se transforma continuamente num potencial cada vez maior: Uma empresa de classe mundial! Angelina Ribeiro de Sousa Psicóloga/ CRP 10/01512/PA Matrícula: 8.204134-2 Fone: 91-32113109
Ver Tudo

Outras histórias


Ver todas


Rua Natingui, 1100 - São Paulo - CEP 05443-002 | tel +55 11 2144.7150 | cel +55 11 95652.4030 | fax +55 11 2144.7151 | atendimento@museudapessoa.org
Licença Creative Commons

Museu da Pessoa está licenciado com uma Licença
Creative Commons - Atribuição-Não Comercial - Compartilha Igual 4.0 Internacional

+