Busca avançada



Criar

História

Churrasco da reforma

História de: André Luís Colling
Autor: Museu da Pessoa
Publicado em: 07/12/2006

Sinopse

Nasceu em Montenegro (RS), em 20/7/1970. Ingressou na fábrica da Antarctica em Montenegro em 1989, como Ajudante de Silos. Hoje é Analista de Materiais na fábrica de Sapucaia do Sul.

Tags

História completa

IDENTIFICAÇÃO Nome, data e local de nascimento Meu nome completo é André Luis Colling. Nasci em 20 de julho de 1970. Nasci em Montenegro, Rio Grande do Sul.

TRABALHO Ingresso na empresa/Trajetória profissional No dia 3 de julho completei 17 anos de Companhia. Entrei no dia 3 de julho de 1989. Eu iniciei como ajudante de silos e, quando eu entrei, a empresa era a Antarctica. Depois houve a fusão com a Brahma, mas quando eu iniciei era Antarctica. A fábrica era em Montenegro mesmo. Hoje, sou analista de materiais. Agora faz dois anos que eu trabalho de analista de materiais em Sapucaia, fui transferido de Montenegro pra cá e a função de analista de materiais é basicamente controlar o estoque de peças de almoxarifado. Tem o almoxarifado central, então, nossa função basicamente é garantir o estoque físico e contábil, ou seja, a pessoa que está lá na central, ele só vai enxergar sistema e estoque no sistema, a nossa principal atividade é uma dessas, a de garantir o estoque físico, dentre outras atividades, a gente tem também o estoque de material de marketing, que é merchandising, que são aquelas faixas, bandôs que vocês encontram por aí nos pontos de venda, isso também é a gente que controla, a parte de materiais também, cuida da parte de refrigeração, que são esses refrigeradores que vocês vêem nos pontos de venda, então a gente cuida do comodato desses itens, então a gente participa, tem mais duas pessoas comigo, que são os conferentes, eu tenho que participar de reuniões de produção matinais, algumas outras de rotina, então, basicamente é isso. Um dos maiores foi essa passagem que eu fiz, que eu era da área industrial, de 17 anos de Companhia, eu tive praticamente 10 anos de processo, então, quando surgiu a vaga na logística, que eu estou até hoje, foi feito um convite para eu trabalhar na área de logística na parte de PCP, fazia programação e controle de produção em Montenegro. Então foi um desafio, eu aprendi bastante, então eles entenderam que, como eu conhecia toda a parte de processo, que eu conhecia os “editimes”, capacidade de tanques todos, eles me adaptariam à função e foi o que aconteceu, foi um desafio bem grande no momento, consegui me adaptar bem, inclusive na época eu tinha trancado, não estava estudando, retornei a estudar, que era a função também de eu estar me atualizando, foi o principal desse tempo aí.

PROCESSOS INTERNOS DA EMPRESA Fusão No início, eu confesso, foi um choque a notícia da fusão. Foi um pouco complicado porque existia até uma rivalidade entre Antarctica e Brahma. Então, nunca passava pela cabeça das pessoas de, de repente, essas duas empresas estarem se unindo, então no início foi uma mudança, é claro, mas, como tudo na Companhia, a gente tem de se adaptar rápido, então... Algumas pessoas da Antarctica foram sendo transferidas para fábricas Brahma e vice-versa. Após a fusão eu trabalhei três anos em Montenegro, e vieram pessoas também de fábricas Brahma, então começou esse convívio, foi aquele choque, mas depois a rotina normal, tranqüilo.

CULTURA DA EMPRESA Valores/Metas A cultura da Companhia é bastante focada em resultados. Eles te dão liberdade para trabalhar, é uma das coisas que eu acho legal, que é essa parte de formalidade não tem, a gente chega no gerente, no nível gerencial e tu conversa normal, então se estipulam metas para chegar no fim do ano para ti atingir, então fala em resultados. Tem a parte de meritocracia, eles prezam bastante essa parte, de a gente trabalhar como se a gente fosse dono do negócio, que o dono olha com olhos diferentes, então, eles passam isso para a gente e a gente está correndo atrás mesmo. A Companhia mudou com a fusão. Na Antarctica, não havia esse foco tão grande em resultados, era um sistema diferente e a gente teve que passar por um período de adaptação. Item de controle era uma coisa que a gente não tinha, por exemplo. Então, isso tudo foi vindo e a gente teve que ir se adaptando, né? Em contrapartida, teve a parte de sistemas, a gente tinha um SAP, que veio da Antarctica, que é a parte de sistemas que a gente usa hoje. SAP é um software, é um que controla todas as partes de custos, estoques, gerencia tudo isso, então isso veio da Antarctica, que foi uma facilidade que a gente teve, que a gente já vinha utilizando essa ferramenta, facilitou um pouco.

PRODUTOS Guaraná Antarctica/ Cerveja Skol/ PEPSI /Cerveja Polar Aqui no Sul, praticamente, como cerveja, eu acho que predomina a Skol. E, aqui no Sul, forte também é o Guaraná Antarctica, a Pepsi. Essas seriam as principais marcas. Aqui a gente tem a Polar, que é bem forte. É uma cerveja local e que tem uma tradição muito grande. É uma cerveja que vende bem também.

AÇÕES DE COMUNICAÇÃO Cerveja Skol Não tem como não falar da propaganda da Skol. Uma das que eu achei mais legal foi aquela com os argentinos, que a trave anda de lugar. É a primeira que vem à cabeça. Acho muito legal.

PROCESSOS INTERNOS DA EMPRESA Responsabilidade Social Tem a política do meio ambiente, é uma coisa que a Companhia preza muito e tenta passar para as áreas também, inclusive tem auditorias internas, que tem um check list, né? Na minha área, que é uma área de peça, a gente tem a parte de descarte seletivo, que é separar o lixo, então é uma parte que a gente contribui, mas, pegando um pouco na área industrial, seria o descarte de produtos químicos, por exemplo, tem a parte de Packaging, que é o descarte de soda cáustica. Então todo descarte que é feito via tubulação, tem que ser avisado para a estação de tratamento que está, digo assim, qualquer descarte que não seja a rotina diária, por exemplo, a lavadora vai ter um descarte de soda diário que é da rotina lavar garrafa, entendeu? Mas algum descarte que venha a acontecer, que fuja um pouquinho àquela, que seja uma concentração maior ou até o despejo de um produto, um vazamento, tem que ser logo sinalizado para a estação para eles cuidarem disso. E também tem a parte, inclusive uma coisa que eles andaram fazendo, que eu achei legal nesses tempos, foi com a comunidade, eles fizeram um concurso, de desenho, aí foi com a comunidade aqui de Sapucaia, sortearam uma bicicleta, se não me engano, aí vieram várias escolas, fizeram uma visita na fábrica e fizeram desenhos, dentro desses desenhos foi feita uma escolha, e ele foi premiado, foi uma bicicleta, se não me engano, o prêmio.

TRABALHO Momentos marcantes Eu acho que o que marcou bastante para mim foi o dia que eles fizeram a reestruturação, foi chamado de reestruturação do Projeto Sul, eu posso chamar assim, porque foi quando a unidade de Montenegro e Estrelas passaram por uma estruturação, eles reduziram um pouco o volume, isso marcou um pouco. Exatamente nessa época começaram a surgir as vagas em outras fábricas, as transferências, do que me recordo, isso marcou bastante, né?

CULTURA DA EMPRESA Valores Com certeza, a Companhia te dá chance para o crescimento. Tu tem essa possibilidade, se tu trabalhar e conseguir resultado, com certeza, tu consegue subir rapidamente. Ela não tem esse lado de olhar, como era antigamente, por tempo de serviço conforme o cargo né? Não, a pessoa pode estar com pouco tempo de Companhia e, daqui a pouco, estar assumindo um cargo de supervisão e até gerência, depende da vontade dela e da capacidade e, conforme ela for atingindo os resultados, ela pode consegue rapidamente, sim. A Companhia te dá essa chance.

PROGRAMAS DE QUALIDADE Programas de Excelência – “PEF” O Programa de Excelência Fabril é o PEF, ele tem um book, dividido em várias áreas das unidades, logística, manutenção, qualidade, gente e gestão e, para cada uma dessas categorias, existe uma pontuação, que é colocado no início do ano com 1000 pontos possíveis e para cada categoria tem uma pontuação “x”, conforme tu vai atingindo, no final do ano tu vai ter a somatória, quem chegar a 900, 1000 pontos é melhor, né? Faz um ranqueamento entre as fábricas, esse ano vão ser premiadas 19 fábricas só na Companhia, então 19 fábricas serão premiadas, então tu consegue ranquear entre a primeira até a 19ª, e aí, na primeira fábrica, eles estipulam um valor de “x” salários e depois as demais é percentual em relação à primeira. No ano passado, nós aqui de Sapucaia, ficamos em segundo lugar dentro das unidades, foi uma pontuação muito boa, sendo que a unidade vinha de dois anos que não tinha se classificado, ou seja, não chegou. Aumentou esse ano, o ano passado eram 15 fábricas, se não me engano, então a unidade não vinha se classificando dentre essas 15, a unidade se classificou o ano passado e conseguiu chegar em segundo lugar, foi bom, e tem a parte também de remuneração, não é só a unidade se classificar bem, tem a parte operacional que ganha, tu tem um retorno financeiro que é muito bom, toda a fábrica corre atrás, mas no final do ano chegando o resultado, tu vai ter um retorno legal também financeiro. Esse programa estaria substituindo a parte de participação nos resultados, essa é a maneira que a Companhia tem de remunerar os resultados.

EMPRESA AmBev Acho que sim, porque eu estou fazendo universidade e, normalmente, tu convive com muitas pessoas de outras empresas e o cara sente, eu também sinto o orgulho de dizer: “Eu trabalho”, tu fala AmBev e as pessoas te olham um pouquinho diferente, tem um status e acho legal, é uma Companhia respeitada, como a gente falou, tem toda uma parte de benefício, remuneração, que é muito respeitada, sim. É como eu te falei antes, mas de momento lembrar, não sei se porque sejam muitos anos de casa, a gente já passou por muitas coisas e, no momento, é difícil lembrar, mas eu acho que tem muita coisa que eu consegui hoje na vida particular que foi graças à Companhia como um todo e talvez se eu não estivesse há 17 anos, se não fosse bom eu não estaria há tanto tempo, eu gosto de trabalhar aqui,é isso aí.

MUNDO DO TRABALHO Relações de trabalho Tinha uma coisa legal que a gente fazia muito em Montenegro, nos meses que a gente chamava de reforma, então o pessoal trabalhava muito em turnos, então sempre se queria combinar algum churrasco ou coisa desse tipo, a gente não conseguia reunir todos, porque estava em horários diferentes e tal, então eu sei que isso era uma coisa que acontecia todo ano na época de julho, era uma época de menor pico de produção e se parava aí umas duas semanas para se fazer algum tipo de manutenção nas máquinas, então isso puxava todo mundo para um horário do dia. Então chegava no final de semana e se combinava, era o chamado churrasco da reforma, então, ali as pessoas conseguiam reunir todo o mundo para conversar, aí contava piadas e esse negócios aí, numa turma sempre tem alguém que sofre um pouco mais, então é isso aí. ENTREVISTA Recado Eu acho que o pessoal deve focar na sua rotina, fazer as suas atividades, focado na rotina, usando as ferramentas que a Companhia disponibiliza, que, com certeza, tu vai atingir teu objetivo, teu resultado no final do ano e ela te dá, tu atingindo esse resultado, com certeza no final do ano ela te dá esse retorno, e, enfim, não é só a parte financeira, mas vários benefícios que a Companhia te dá extra, salário, saúde, casa, ambiente, trabalho e tudo, então, eu diria isso aí, como o tempo de serviço que eu tenho, as pessoas estão chegando agora e estão vendo que é um lugar legal para trabalhar e que um dia invista nisso aí que é bom.

PROJETO MEMÓRIA VIVA AmBev Importância da história/Importância dos depoimentos Com certeza, essa iniciativa da AmBev de gravar o depoimento dos funcionários é legal. São coisas que você pode depois estar resgatando e mostrando para pessoas, por exemplo, funcionários novos que estão chegando, para ver que tu trabalhando legal, vai ter uma continuidade, vai ter oportunidade de crescimento, não é assim: “Ai, isso aqui é uma coisa passageira”, não, as pessoas têm condições de crescer e de fazer carreira.

Ver Tudo PDF do Depoimento Completo

Outras histórias


Ver todas


Rua Natingui, 1100 - São Paulo - CEP 05443-002 | tel +55 11 2144.7150 | cel +55 11 95652.4030 | fax +55 11 2144.7151 | atendimento@museudapessoa.org
Licença Creative Commons

Museu da Pessoa está licenciado com uma Licença
Creative Commons - Atribuição-Não Comercial - Compartilha Igual 4.0 Internacional

+