Busca avançada



Criar

História

Aprender para ensinar

História de: Letícia Azevedo
Autor: Letícia Azevedo
Publicado em: 18/09/2018

Sinopse

Uma história real sobre uma garota comum que viu seus sonhos mudados pela vida.

Tags

História completa

Minha história começa há 16 anos atrás, mais especificamente em 2002. Eu era uma adolescente entre 15 e 16 anos, cursando o segundo ano do ensino médio. Tinha uma família feliz, composta por meus pais, meu irmão mais velho e eu. Era a época em que a tecnologia e as redes sociais começavam a invadir tudo. Nós enfrentávamos um câncer devastador com minha mãe. Com ela doente a situação financeira apertou, e foi aí que senti a necessidade de trabalhar, para poder ajudar nas despesas. Como qualquer adolescente pensei em procurar emprego em uma loja de roupas ou sapatos, porém eu estava me formando no cursos de inglês e surgiu a oportunidade de fazer um teste para professora de inglês em uma escola de uma conhecida.

 

Encarei de frente e para minha felicidade fui logo contratada. Para mim era algo provisório, até terminar o ensino médio e ir para São Paulo fazer minha tão sonhada faculdade de Moda. Em meio a isso tudo, a notícia que minha mãe estava bem veio como um alívio. Entramos em 2003, último ano do ensino médio, e tudo parecia muito bem... Do meio para o fim do ano a notícia que abalou tudo, o câncer de minha mãe havia voltado. Então me formei e fiquei sem rumo, continuei lecionando inglês e optei por não ir à faculdade para cuidar de minha amada mãe, e na esperança de que ela logo ficaria bem. Dois anos se passaram e nós na luta contra o câncer. Decide estudar por aqui mesmo e fui estudar técnico em farmácia,na intenção de um dia trabalhar com pesquisas de novo medicamentos quimioterápicos. Eis que no meio do curso em 2006, minha mãe faleceu. Fiquei sem chão, desestruturou toda a família. Pensei em largar o curso, mas recebi conselhos de um professor muito sábio e acabei ficando até o fim. E continuei lecionando inglês, me aprimorando cada vez mais.

 

Em 2007 terminei o curso mas não fazia mais sentido para mim a área da saúde, pois já não poderia salvar quem eu mais amava. Então fui para faculdade finalmente. Não a sonhada de moda, pois não quis me mudar e deixar meu pai e meu irmão. Optei por Comunicação Social. Mas ainda continuava lecionando e gostando cada vez mais de ser professora. Então, em 2009, estava na metade da faculdade, me casei. Com as despesas da casa e etc me vi obrigada a parar a faculdade por falta de verba. Segui como professora de inglês. Chegamos há 2012, o maior acontecimento da minha vida, o nascimento da minha primeira filha. Eu já não me via em outra profissão, mas a falta do ensino superior me incomodava. Minha filha foi crescendo e com 2 anos e meio veio uma amiga psicóloga, que convivia muito com ela, conversar comigo. Me disse que ela tem o QI muito elevado, a cabeça muito avançada, e que geralmente pessoas assim têm dificuldades com sentimentos e tal. Fui procurar mais informações e não achei muita coisa. Foi aí que me veio a vontade de voltar para a educação infantil.

 

Comecei a pensar, pesquisar faculdades, ensino EAD para adequar melhor a vida de mãe, esposa e professora. Em 2016 finalmente tomei coragem e comecei a faculdade. Em 2017 já fui trabalhar na área e não parei mais. Agora me encontra ansiosa pelo término da faculdade para que eu possa finalmente fazer minha pós em Neuro-psicopedagogia. São 16 anos lecionando, meu sonha de fazer Moda deu espaço a novos sonhos. Tentei algumas vezes outras áreas, mas nada conseguiu me tirar da sala de aula. Hoje sei que não adianta lutar contra aquilo que você nasceu para fazer. Agradeço à Deus por todas as experiências vividas até aqui, e sigo nessa caminhada, na certeza de estar trilhando o caminho certo.

Ver Tudo

Outras histórias


Ver todas


Rua Natingui, 1100 - São Paulo - CEP 05443-002 | tel +55 11 2144.7150 | cel +55 11 95652.4030 | fax +55 11 2144.7151 | atendimento@museudapessoa.org
Licença Creative Commons

Museu da Pessoa está licenciado com uma Licença
Creative Commons - Atribuição-Não Comercial - Compartilha Igual 4.0 Internacional

+