Busca avançada



Criar

História

A vida e os saberes populares

História de: Ana Maria de Jesus Santos
Autor: Letícia Monteiro Chinaglia
Publicado em: 09/11/2021

Tags

História completa

Essa é uma história contada por Ana Maria de Jesus Santos, nascida em 1951 na pequena cidade de Mamonas, norte de Minas Gerais. Desde pequena sempre esteve em contato com a natureza, seus pais tinham um sítio com plantações e ela, junto de sua única irmã, ajudavam no trabalho. Antigamente, a medicina não era tão avançada como hoje e na zona rural, muitas vezes, nem se tinham médicos, portanto, muito se sabia e explorava sobre as propriedades medicinais que certos chás e plantas podem ter e no sítio da família da senhora Ana não era diferente. Com isso, ao longo de sua vida, ela obteve conhecimentos preciosíssimos que carrega até hoje. Os anos se passaram, e a menina que morava no interior de Minas Gerais, se mudou para a maior cidade do país, São Paulo. Ela se casou, teve um filho, trabalhou e passou por muitas coisas. Hoje, mora com seu filho em um bairro residencial da metrópole e tem uma vida sossegada. Apesar de todas essas vivências, dona Ana nunca abandonou suas raízes e tem um enorme carinho por sua cidade natal, além disso, preserva muitos saberes que aprendeu lá. Atualmente, possui um quintal em sua casa, que cultiva várias plantas como: capim cidreira (capim santo), alecrim, manjericão, cebolinha, coentro, losna, pimenta dedo de moça, hortelã, antúrio, suculentas, guaco, orquídea, quiabo, pé de café e até duas árvores, de abacate manteiga e laranja, da qual faz doces todo ano. A fim de compartilhar e passar para frente esses saberes tão importantes, dona Ana conta sobre os chás. Caso você esteja ansioso, com dores musculares ou com o sono desregulado, o chá de capim cidreira ou capim santo é um excelente calmante. Já o chá de mastruz ou erva de santa maria, é bom para vermes, a mãe de dona Ana dava para ela e a irmã quando eram criança, leite fervido com folha de mastruz pela manhã. Também contribui para o processo de cicatrização, a própria senhora tomou o chá depois de adulta quando precisou. Agora, se seu problema for dor de estômago ou prisão de ventre, saiba que chá de alecrim ou de erva doce podem te ajudar. Tome cuidado com o chá de salsinha, pois sua pressão pode cair. Por fim, o pé de laranja além laranjas, tem folhas boas para fazer chá que combate o resfriado, porém caso você tome a noite deve ficar de resguardo no dia seguinte e não lavar o rosto com água fria, pois pode não fazer bem. Os anos se passaram, o mundo mudou, a medicina é outra e já ajudou muito a senhora Ana, esta é acompanhada por médicos, faz exames e toma remédios alopáticos, mas sabe que complementar o tratamento com chás só acrescenta em sua qualidade de vida, entendendo que os dois tipos de terapêuticas são complementares e não opostos. Esses saberes populares que a senhora Ana não aprendeu em livros e aulas, mas sim diante das experiências vividas são tão ricos e potentes e não podem ser perdidos, pois fazem parte da história do nosso país, de Minas Gerais e de várias pessoas, portanto vamos valorizá-los, escutando, vivendo e aprendendo.

Ver Tudo

Outras histórias


Ver todas


Rua Natingui, 1100 - São Paulo - CEP 05443-002 | tel +55 11 2144.7150 | cel +55 11 95652.4030 | fax +55 11 2144.7151 | atendimento@museudapessoa.org
Licença Creative Commons

Museu da Pessoa está licenciado com uma Licença
Creative Commons - Atribuição-Não Comercial - Compartilha Igual 4.0 Internacional

+