Busca avançada



Criar

História

A mulher que se reinventou em Balneário Camboriú

História de: Dulce Pacheco
Autor: Joice Sabatke
Publicado em: 02/04/2021

Sinopse

Reverenciada pelo vendedores ambulantes de picolé de Balneário Camboriú como "Dona Dulce", ela possui uma trajetória de vida repleta de reviravoltas e reinvenções.

Tags

História completa

Meu nome é Dulchi Sordi Pacheco Nasci em Ipoméia, distrito de Videira (SC), em 30 de junho de 1949. Sou filha de italianos. Somos 5 irmãos, quatro mulheres e um homem. Já perdemos uma irmã, pai e mãe, falecidos. Fomos morar no Paraná, na cidade de Paraíso do Norte, em 1959. De lá, mudamos para Cascavel (PR), cidade que tenho no coração e onde passei a minha infância e juventude. Fui casada com Juracy Pacheco durante 15 anos. Sou viúva há 37 anos e tenho duas maravilhosas filhas. Cynara é fisioterapeuta e Daniele, que é bioquímica. As duas são o meu alicerce. Balneário Camboriú foi a cidade que optei para continuar a viver, há 27 anos. Vim com as filhas para cá em 1994 para montar o meu próprio negócio de venda de suco de laranja natural na areia da praia. Com o aumento dos produtos, tive que mudar o empreendimento e comecei com o picolé, no qual até hoje estou.

Ver Tudo

Outras histórias


Ver todas


Rua Natingui, 1100 - São Paulo - CEP 05443-002 | tel +55 11 2144.7150 | cel +55 11 95652.4030 | fax +55 11 2144.7151 | atendimento@museudapessoa.org
Licença Creative Commons

Museu da Pessoa está licenciado com uma Licença
Creative Commons - Atribuição-Não Comercial - Compartilha Igual 4.0 Internacional

+