Busca avançada



Criar

História

A força da paróquia na Arquidiocese de Salvador

História de: José (Zezito) Lima dos Santos
Autor: Coleção Alagados
Publicado em: 11/08/2020

Sinopse

Zezito narra sobre quando, nos anos 2000, era catequista da Igreja de Nossa Senhora dos Alagados e ajudou a organizar o jubileu das crianças, que congregou cerca de 400 jovens, surpreendendo enormemente as demais paróquias participantes.

Tags

História completa

Dom Geraldo chegou pra aqui em 2000, e teve o Jubileu. Ai colocou o jubileu das crianças. Rapaz isso foi uma novidade. Jubileu das crianças! Ai nós programamos. Dominique disse: "- É, nós temos que levar as crianças para a catedral". Ai sim, ai nós fomos, fomos não, preparamos. Como preparar, se nós tínhamos uma catequese aqui que tinha mais de 500 crianças? Pra levar tudo não dá. Ai eu consegui, eu era o catequista no ano de 2000. Aí eu disse: “ – Bom, eu vou tentar na empresa”, que eu tinha amizade com o pessoal da empresa. Ai eu cheguei lá e expus as coisas, ele disse: "- Eu vou dar os ônibus". Ai deram 2 ônibus. Doou. Doou para conduzir as crianças daqui para - dia de sábado a tarde, é como o dia de hoje. Dia de sábado a tarde - lá para levar e trazer. Ai fomos organizar por catequista, o meu é 20, o outro, aqui Selminha... não sei quantos. Ai quando somou tudo. Bom só pode levar tanto de cada um, ai levou, só sei que eu levei uns 20, outro deve ter levado uns 15, 20 e assim por diante de criança, quando somamos tudo deu 400. 400! Ele ficou doido, 400 crianças! Tem que ser paróquia de maluco! Dominique falou: "- Vocês são todos doidos e eu também!" Ele disse “- Vocês tão tudo doido e eu também!” Assim. Ai, como levar? Organizamos, fizemos treinamento nas crianças, nos catequistas, quem levar a criança leve, quando chegar sai de catequista por catequista. E as crianças treinadas, chega lá quietas, acompanhar em fila como soldado no quartel, obediência. Tudo feito. Perfeito. Pegamos o ônibus, quando chegou lá a igreja já estava cheia. Se não tinha 400 lá, como é que vai entrar 400 se já estava cheia com 400, como que entra 400, como é que faz? E sabe qual que foi a nossa ideia? e Dom Geraldo dizendo, foi o ano que Dom Geraldo chegou aqui, e era o jubileu que dom Geraldo ia ver, o jubileu das crianças da catequese da arquidiocese. Ai tinha criança de Camaçari, de Cruz das Almas, tinha tudo. Ai sabe o que fizemos? O nosso vigário episcopal, ai pegou e disse: "- Olha, joga tudo aqui em cima do altar!" Na área do altar. "- Joga tudo, espalha aí, senta no chão porque não tem mais banco, não tem mais nada." Ai foi botando, e agente com as camisas amarelas dos catequistas. Ai botou todo mundo e em cada grupo ficava um catequista junto sentado. Ai ficamos lá, arrumou tudo, fechou tudo, só ficou a passagem, a passarela entre a bancada, a passarela para dom Geraldo chegar. Ficou apertado, na área dos padres. Ai arruma tudo, ajeita tudo, daí há pouco Dom Geraldo chega. Quando Dom Geraldo chegou ai ele procurou identificar por paróquia, é da paróquia tal, tal, quando chegou em Alagados que levantou tudo a frente, ele ficou assim... (risos). Ele disse: "- Isso é uma paróquia ou uma diocese?" Rapaz, ninguém "guentou"! Ai esse momento foi muito grande porque Dom Geraldo olhou assim, que ele chegou novinho, observando as pastorais, as paróquias, ele encontrou logo isso de primeira, ele ficou assim: "- Meu Deus, que paróquia é essa?" Ficou com aquilo na cabeça. Quando terminou tudo ele agradeceu todo mundo, Dom Dominique olhou assim, que padre é esse, ai padre Ademar disse bom, na saída vocês saem todos do mesmo jeito que vocês entraram e vocês vão receber um livrinho ali na porta, foi doação que veio da Alemanha de uma mini bíblias, pequenininha. Deu pras crianças. Cada criança recebeu uma, pense quantas! Ai eu só sei que de Alagados com os catequistas foram quase 500. Ai uma senhora que estava atendendo disse: "- Meu filho, que paróquia é esta?" Eu disse: "- É uma paróquia que tem lá na cidade baixa." Ela disse assim: "- Meu Deus do céu, eu nunca vi um negócio desses em minha vida!" Eu dei risada. Ai fomos. Na outra semana da reunião ai padre Dominique disse assim: "- Meu Deus do céu, eu não sei o que aconteceu. Dom Geraldo botou não foi 2 olhos não, ele botou foi 4 olhos em cima dessa paróquia." Com pouco tempo ele foi observando o desenvolver da paróquia e tudo, ele começou a olhar o padre Dominique, com pouco tempo ele convidou o padre Dominique para ir fazer um trabalho espiritual no seminário. Ele descobriu a espiritualidade do padre Dominique, convidou para fazer um trabalho toda semana, ele ia fazer um trabalho espiritual para os seminaristas, confissões e tudo mais, e isto bateu o currículo dele lá em Roma. Passado 9 anos ele foi convidado... Ele não foi bispo por acaso, o trabalho dele, o Espírito Santo conduziu ele até o bispo, até a ordenação episcopal.

Ver Tudo

Outras histórias


Ver todas


Rua Natingui, 1100 - São Paulo - CEP 05443-002 | tel +55 11 2144.7150 | cel +55 11 95652.4030 | fax +55 11 2144.7151 | atendimento@museudapessoa.org
Licença Creative Commons

Museu da Pessoa está licenciado com uma Licença
Creative Commons - Atribuição-Não Comercial - Compartilha Igual 4.0 Internacional

+